Última hora

Última hora

BeeRotor: Voar como as abelhas

Em leitura:

BeeRotor: Voar como as abelhas

Tamanho do texto Aa Aa

A forma como as abelhas utilizam as asas é uma questão que tem vindo a inquietar os especialistas. Mas agora, os investigadores de Bio-robótica da

A forma como as abelhas utilizam as asas é uma questão que tem vindo a inquietar os especialistas. Mas agora, os investigadores de Bio-robótica da Universidade de Marselha, em França, criaram um robô aéreo que utiliza a visão para navegar de forma autónoma, tal como as abelhas.

Os aviões modernos recorrem a um acelerómetro durante a estabilização do voo. Já as abelhas confiam no seu instinto inato de equilíbrio. Inspirados nas investigações sobre as abelhas, os cientistas criaram o BeeRotor, que se estabiliza visualmente, sem acelerómetro.

“A ideia é fazer muito com poucos recursos – é o que os os insetos nos ensinam, que é possível ter um comportamento completamente autónomo num ambiente desconhecido, sem mapas, sem GPS e gerir a situação com poucos recursos”, diz o investigador Stéphane Viollet.

O BeeRotor consegue ajustar a velocidade e evitar os obstáculos sem ter de medir a gravidade, a velocidade ou a altitude – respondendo a pistas visuais.

Foi testado numa plataforma em movimento: mesmo na ausência de um sensor de velocidade do ar, conseguiu ajustar a altura, a velocidade, navegar de forma autónoma e pousar em segurança.

Mas antes que o BeeRotor possa ser autónomo, ao ar livre, os cientistas ainda têm de adaptar a sua estrutura, para permitir uma maior estabilização.

O Bee Rotor