Última hora

Última hora

Coração da Juventus não foi suficiente para travar génio do Barcelona

O quinto triunfo do Barcelona na principal competição rainha do futebol europeu é naturalmente o principal destaque do último The Corner da

Em leitura:

Coração da Juventus não foi suficiente para travar génio do Barcelona

Tamanho do texto Aa Aa

O quinto triunfo do Barcelona na principal competição rainha do futebol europeu é naturalmente o principal destaque do último The Corner da temporada.

A festa da equipa espanhola prolongou-se pela noite fora e começou bem cedo, logo aos quatro minutos Ivan Rakitić aproveitou uma jogada de envolvimento para atirar a contar. O croata, que o ano passado tinha vencido a Liga Europa com o Sevilha, apontou o quarto golo mais rápido de sempre numa final da Liga dos Campeões.

O treinador Luis Enrique não podia desejar melhor começo: “Penso que o jogo, se o analisarmos desde o pontapé de saída, começou de forma perfeita para o Barcelona. Marcámos na primeira oportunidade e dominámos o primeiro tempo. Criámos várias oportunidades para marcar novamente mas o Buffon esteve a um nível elevadíssimo, como é habitual.”

Apesar do golo madrugador, ainda havia muito trabalho pela frente. A Juventus lançou-se em busca da igualdade e foi recompensada com um golo de Álvaro Morata já no segundo tempo.

A Vecchia Signora parecia mandar no jogo e Massimiliano Allegri acreditava: “A sensação que tive no banco foi de que estávamos mais próximos de vencer que de perder mas o Barcelona colocou-se em vantagem mal cometemos um erro quando possibilitámos um contra ataque. Eles têm três atacantes de grande nível que não perdoam nestas situações, pagámos bem caro pelo erro que cometemos.”

Luis Suárez foi o carrasco, aproveitando da melhor forma uma defesa incompleta de Buffon. Já nos descontos, Neymar estabeleceu o resultado final.

Ases e Azelhas

Luis Suárez foi quem mais brilhou no trio atacante dos espanhóis em Berlim. Mesmo falhando os primeiros dois meses por suspensão, o uruguaio terminou a temporada de estreia no Barcelona com 25 golos.

Na Juventus foi Álvaro Morata quem mais se destacou. O atacante espanhol, que já o ano passado tinha ajudado o Real Madrid a vencer a décima, foi sempre o homem mais perigoso da equipa italiana e enquanto teve forças foi uma verdadeira dor de cabeça para a linha defensiva do Barça.

Ao invés, Paul Pogba esteve bastante irregular. Mostrou alguns pormenores de grande nível mas esteve longe de justificar os 100 milhões de euros que vários clubes parecem dispostos a pagar por ele.

O pagador de promessas

Milhares de adeptos viajaram até Berlim no último fim de semana para apoiar a sua equipa. Um deles, no entanto, destacou-se dos demais e mostrou não conhecer limites na hora de seguir a sua equipa.

Nicolo de Marchi é a prova viva de que as promessas são mesmo para cumprir, mesmo que seja necessário contornar um pouco as regras. O adepto da Juventus, de 22 anos, tinha prometido ir à final de Berlim a pé caso a sua equipa se apurasse para a final. Dito e feito, mesmo que tenha recorrido à ajuda de uma bicicleta para percorrer os 1100 km entre Turim e a capital alemã.

A proeza valeu-lhe um bilhete para a final, cortesia do clube italiano. O regresso foi feito de avião mas provavelmente até custou muito mais que a ida…