Última hora

Última hora

Encontro Tsipras-Merkel-Hollande comprometido

O encontro entre o primeiro-ministro grego e os líderes políticos de França e Alemanha está em dúvida, com a Comissão Europeia a estudar as propostas de Atenas.

Em leitura:

Encontro Tsipras-Merkel-Hollande comprometido

Tamanho do texto Aa Aa

O jogo da corda entre o governo da Grécia e as instituições europeias mantém-se. Atenas apresentou uma contraproposta à Comissão Europeia e ao Eurogrupo, depois de ter rejeitado os cortes inicialmente pedidos.

Point of view

O acordo é sempre possível, mas requer vontade política (...) da parte do governo grego.

As negociações foram retomadas terça-feira. A nova proposta prevê a utilização de quase 11 mil milhões de euros do fundo destinado aos bancos e novas metas fiscais. Em dúvida está a reunião, prevista para esta quarta-feira, entre Alexis Tsipras, Angela Merkel e François Hollande, como explica o líder do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem: “Ainda não é certo que a reunião possa acontecer. Tudo depende da proposta grega, que chegou e está a ser estudada. Temos de ver se essa proposta nos ajuda ou não a aproximar-nos das metas”.

Para o desbloqueio de mais sete mil milhões de euros em ajudas, é preciso um novo acordo antes do fim do plano de resgate, previsto para 30 de junho. Valdis Dombrovskis é vice-presidente da Comissão Europeia: “O acordo é sempre possível, mas requer vontade política, antes de mais, da parte do governo grego. Devem fazer menos manobras táticas e concentrar-se mais no que importa para os próximos dias”.

O governo de Alexis Tsipras, eleito em janeiro num fundo de descontentamento com as políticas de austeridade, está agora confrontado com um pau de dois bicos. Tem de lidar com as condições dos líderes europeus e também com a ala esquerda do Syriza, que recusa fazer qualquer concessão a Bruxelas.