Última hora

Última hora

Coreia do Sul: MERS já matou 11 mas há menos novos casos e as escolas reabrem

A Síndrome Respiratória do Médio Oriente (MERS) faz mais uma vítima na Coreia do Sul. Esta sexta-feira de manhã, uma mulher de 72 anos sucumbiu

Em leitura:

Coreia do Sul: MERS já matou 11 mas há menos novos casos e as escolas reabrem

Tamanho do texto Aa Aa

A Síndrome Respiratória do Médio Oriente (MERS) faz mais uma vítima na Coreia do Sul. Esta sexta-feira de manhã, uma mulher de 72 anos sucumbiu devido ao também apelidado coronavírus e elevou o balanço de vítimas deste surto viral para 11 mortos.

A mulher foi diagnosticada com o MERS a 4 de junho num hospital de Pyeongtaek, na província de Gyeonggi, e estava em coma há já cinco dias.


O número de casos na Coreia também subiu esta sexta-feira, mas apenas como 4 novos casos contra os 14 de quinta-feira e os 13 de quarta-feira. Ao todo, são agora 126 os casos registados de pessoas infectadas com o MERS, todos registados em hospitais. Os 4 novos casos sõ pessoas que visitaram hospitais afetados pelo vírus.

O facto de o vírus se manter ativo apenas em hospitais e a redução de novos casos aumenta a esperança das autoridades em conseguir conter e controlar em breve a ação deste vírus para o qual ainda não há tratamento preventivo. As notícias levaram, contudo, as autoridades coreanas a decidir levantar o encerramento preventivo das escolas, que durou toda a última semana.


Os responsáveis coreanos continuam, ainda assim, a desinfetar vários locais públicos e pelo menos dois hospitais onde foram tratados pacientes com uma doença respiratória mortal foram encerrados.

Mais de 3800 pessoas estavam ainda em isolamento na quinta-feira, realizando exames para despistar o vírus, depois de terem estado em contacto com pacientes infetados ou terem visitado hospitais onde o MERS tem estado ativo. O número de pessoas em quarentena foi revisto esta sexta-feira para um máximo de 3680, a primeira queda deste número desde que o surto se tornou conhecido a 20 de maio.

A queda deveu-se a pessoas libertadas do isolamento depois dos testes efetuados terem dado negativo e por não revelarem sintomas após os estimados 14 dias de incubação do vírus. Ao todo, com os números revelados esta sexta-feira pelas autoridades coreanas, 1249 pessoas foram já libertadas do isolamento.

A China não está porém tão otimista quanto os coreanos. O regulador da aviação civil chinesa ordenou esta sexta-feira que todos os aviões oriundos da Coreia do Sul fossem esterlizados.


Uma equipa médica da Arábia Saudita, país onde foi registado há três anos o primeiro caso conhecido de MERS, deslocou-se à Coreia do Sul. O objetivo é a partilha de experiências no combate a este surto viral considerado um “primo” mais mortal, mas menos contagioso, do vírus responsável pela Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS) que, em 2008, fez cerca de 800 mortos em todo o mundo.