Última hora

Última hora

Os vencedores do Prémio Europeu do Inventor 2015

Em leitura:

Os vencedores do Prémio Europeu do Inventor 2015

Tamanho do texto Aa Aa

A décima edição do Prémio Europeu do Inventor recompensou dez cientistas da Europa, do Japão da China e da Austrália. A cerimónia de entrega dos

A décima edição do Prémio Europeu do Inventor recompensou dez cientistas da Europa, do Japão da China e da Austrália.

A cerimónia de entrega dos galardões teve lugar na última quinta-feira, em Paris.

O prémio Carreira foi atribuído a Andreas Manz. O inventor suíço descobriu uma forma de fazer análises clínicas, biológicas e químicas através de microships.

A invenção levou ao desenvolvimento dos destes rápidos de ADN para a prevenção de doenças hereditárias. No futuro, a tecnologia poderá levar à criação de testes simples e pouco dispendiosos para o despiste rápido de doenças, nos países em desenvolvimento.

Atualmente os cientistas estão a tentar criar testes simples e rápidos para despistar o VIH, a malária, o dengue e alguns tipos de cancro.

“A grande vantagem do chip é o facto de permitir trabalhar num espaço pequeno. É a chamada lei da escala. Tomemos o exemplo do elefante. É um animal que caminha lentamente, enquanto um ratinho vai depressa. O mesmo se passa com as nossas moléculas. Num sistema pequeno, num microship as análises são mais rápidas”, disse Andreas Manz

Na categoria das Pequenas e Médias Empresas, a investigadora holandesa Laura van ‘t Veer foi recompensada pela invenção de um teste genético que permite avaliar se as mulheres com cancro da mama numa fase inicial precisam ou não de fazer quimioterapia.

O chamado MammaPrint determina o risco de metástases. O teste lançado em 2007 melhorou o tratamento de mais de 40 mil mulheres com cancro da mama. Hoje em dia, um quarto das pacientes já não precisa de fazer tratamentos longos.

“As mulheres podem prescindir da quimioterapia nos casos em que o risco de reincidência é baixo. Isso evita os efeitos secundários do tratamento que impedeas pessoas de terem uma vida normal durante um ano. No caso das mulheres que necessitam de quimioterapia, o tratamento será personalizado, com base no resultado do Mammaprint”, explicou a cientista holandesa.

O austríaco Franz Amtmann e o francês Philippe Maugars venceram o prémio Europeu do Inventor na categoria Indústria.

Os dois inventores foram recompensados pelo desenvolvimento da tecnologia NFC – Near Field Communication (NFC). O sistema NFC permite fazer pagamentos com um telemóvel. Basta encostar o aparelho a um terminal.

“Uma pessoa pode armazenar um bilhete eletrónico de metro no telemóvel mas, depois, ao entrar no metro, pode ficar sem bateria. Com a tecnologia NFC, a pessoa pode sair do metro, porque o bilhete está armazenado no próprio sistema do metro, que reconhece o bilhete eletrónico, o que não é possível com o Bluetooth ou com o Wi-Fi”, explicou Philippe Maugars.

“O sistema também funciona com aparelhos passivos sem bateria. Basta tocar na etiqueta onde está armazenado o endereço acrescentou Franz Amtmann.

Na edição 2015, houve 300 candidatos aos galardões atribuídos pelo Instituto Europeu de Patentes.

Um tipo de plástico que pode ser reparado e reciclado e uma vacina contra o Vírus do Papiloma Humano foram outras das invenções premiadas.