This content is not available in your region

Governo húngaro quer muro na fronteira com a Sérvia

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira  com ANDREA HAJAGOS, REUTERS, APTN.
Governo húngaro quer muro na fronteira com a Sérvia

<p>A Hungria esta no centro da nova polémica sobre as migrações na Europa, com a decisão do governo de mandar construir um muro de quatro metros para fechar a fronteira com a Sérvia, a única fronteira com um país de fora da União Europeia, por onde tem entrado um grande número de pessoas vindas, sobretudo, do Kosovo, do Afeganistão e da Síria.</p> <p>O Alto Comissariado da <span class="caps">ONU</span> para os Refugiados (<span class="caps">ACNUR</span>) lançou uma campanha para contrariar as posições alegadamente xenófobas do governo liderado por Viktor Orbán.</p> <p>Kitty McKenzie é porta-voz do <span class="caps">ACNUR</span> para a Europa Central: “Qualquer muro, ou cerca, seria uma barreira ao asilo. As pessoas têm o direito de pedir asilo. Está na Constituição húngara e é um direito universal. Queremos ter a certeza que o governo húngaro mantém as fronteiras abertas, que as pessoas podem pedir asilo e esses pedidos são ouvidos.</p> <p>Outra polémica tem a ver com os cartazes da campanha do governo húngaro, com frases como “na Hungria, respeite as nossas leis” ou “Na Hungria, respeite a nossa cultura”.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" lang="en"><p lang="en" dir="ltr">Citizens destroy anti-migrants posters in <a href="https://twitter.com/hashtag/Hungary?src=hash">#Hungary</a>. <a href="https://twitter.com/hashtag/Migration?src=hash">#Migration</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/Orban?src=hash">#Orban</a> <a href="https://twitter.com/SdeWijs">@SdeWijs</a> <a href="http://t.co/KxQJJHNbsL">http://t.co/KxQJJHNbsL</a></p>— Nóra de Wijs (@NWijs) <a href="https://twitter.com/NWijs/status/607889753577504768">June 8, 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> </p> <p>“A ideia de construir uma cerca foi falada nos últimos dias, mas, segundo a imprensa, a maioria dos deputados do partido do governo está contra e nem sequer imagina algo assim. No entanto, o governo mantém a decisão de construir esta cortina de ferro”, constata a correspondente da euronews em Budapeste, Andrea Hajagos.</p>