Última hora

Última hora

UNESCO: Há 58 milhões de crianças não escolarizadas no mundo

Passaram-se 15 anos desde que foram estabelecidos, em Dacar, no Senegal, seis objetivos para a educação Mundial. A UNESCO publicou, recentemente, o

Em leitura:

UNESCO: Há 58 milhões de crianças não escolarizadas no mundo

Tamanho do texto Aa Aa

Passaram-se 15 anos desde que foram estabelecidos, em Dacar, no Senegal, seis objetivos para a educação Mundial. A UNESCO publicou, recentemente, o relatório Educação para todos e os resultados são dececionantes. No início, a maioria dos países despendeu muito tempo e esforço mas agora, grande parte recebe más notas. De acordo com o diretor do relatório “Educação para todos”, Aaron Benavot, só um terço dos países conseguiu cumprir os seis objetivos estabelecidos em Dacar.

Benavot explica que “apesar de toda essa atenção e dinheiro que foi dado para permitir que alguns países menos desenvolvidos melhorassem o acesso a todas as crianças há, ainda, 58 milhões de crianças não escolarizadas.” O diretor da UNESCO afirma que “nos últimos anos, os progressos têm sido mínimos” e “o facto de não estarmos a educar as nossas crianças e os nossos jovens significa que vamos acabar por aumentar o número de adultos analfabetos. Isso tem um impacto negativo enorme nos resultados da saúde e nos resultados económicos destes países”, conclui.

Global: Crianças matriculadas no primeiro ciclo

Índia: de 16 milhões de crianças não escolarizadas para 1 milhão

Desde a conferência, em Dacar, o governo da Índia colocou em marcha várias iniciativas para levar as crianças, em especial as meninas, a frequentar a escola, o “Sarva Shiksha Abhiyaan” ou “Programa Universal de Educação”

O executivo iniciou uma campanha a pedir aos pais que enviassem os filhos à escola, através de programas especiais e anúncios na rádio e televisão. Algumas estrelas de Bollywood juntaram-se às iniciativas e o contacto direto ajudou a propagar a mensagem à grande maioria da população. As mensagens e a lei que instituiu o primeiro ciclo como obrigatório levaram crianças aos bancos da escola.

Nos últimos 15 anos, o número de crianças que não frequentava pelo menos o primeiro ciclo de 16 milhões para 1 milhão mas há ainda muito por fazer de modo a garantir os resultados do ensino e da aprendizagem.

México aposta na qualidade do ensino

Há 15 anos que o México vindo a melhorar a qualidade do ensino e a aumentar as taxas de frequência escolar nas zonas rurais.

O Conselho Nacional de Fomento Educativo, o CONAFE, tem ajudado a reunir recursos para essas comunidades, equipando salas de aulas e fornecendo material escolar aos alunos.

Apesar dos progressos dos últimos anos o México tem ainda um longo caminho a percorrer. Segundo fontes oficiais, cerca de 3 milhões de crianças continuam sem frequentar a escola.