Última hora

Última hora

Papa denuncia em Turim: "Imigrantes não podem ser tratados como mercadorias"

O Papa Francisco deslocou-se este domingo a Turim, no norte de Itália, para venerar o “Santo Sudário”, o lençol que teria envolvido o corpo de Jesus

Em leitura:

Papa denuncia em Turim: "Imigrantes não podem ser tratados como mercadorias"

Tamanho do texto Aa Aa

O Papa Francisco deslocou-se este domingo a Turim, no norte de Itália, para venerar o “Santo Sudário”, o lençol que teria envolvido o corpo de Jesus Cristo após a crucificação.

Uma visita de carácter religioso marcada também pelas palavras do sumo pontífice contra a máfia e a corrupção, frente a uma plateia de empresários e representantes do mundo laboral.

Face ao debate sobre a imigração que aumenta a popularidade dos partidos xenófobos no norte de Itália, Jorge Bergoglio, lançou um apelo para que, “os imigrantes não sejam tratados como mercadorias”.

O papa lembrou também que, “os migrantes são antes de mais vítimas da economia e das guerras”, em resposta ao discurso populista que acusa os estrangeiros de aumentarem o desemprego.

A visita ocorre a poucos quilómetros do local onde centenas de migrantes se encontram bloqueados desde há dias, na fronteira entre Itália e França.

A visita deverá prolongar-se até amanhã com várias deslocações na agenda, entre as quais a um templo evangelista na região.

O “Santo Sudário” de Turim, uma visita incontornável para qualquer líder da Igreja Católica, vai estar exposto ao público até quarta-feira.