Última hora

Última hora

Jorge Sampaio agraciado pela ONU com o primeiro prémio Mandela

Ex-Presidente de Portugal vai receber o prémio ao lado da oftalmologista Helena Ndume, da Namíbia, a 24 de julho, em Nova Iorque. A cerimónia faz parte das celebrações do Dia Internacional Nelson Mandela

Em leitura:

Jorge Sampaio agraciado pela ONU com o primeiro prémio Mandela

Tamanho do texto Aa Aa

O antigo Presidente de Portugal Jorge Sampaio é um dos dois primeiros eleitos pelas Nações Unidas para receber o novo Prémio Nelson Mandela. Este título, que distingue feitos e contribuições em prol da humanidade, foi estabelecido em junho do ano passado e o respetivo estatuto foi aprovado a 2 de abril último.




Jorge Sampaio, de 75 anos, foi escolhido pela Comissão selecionada de propósito para eleger os premiados. A par do português, foi também eleita oftalmologista Helena Ndume, da Namíbia. Os dois laureados vão receber os respetivos prémios a 24 de julho, na sede da ONU, em Nova Iorque, em cerimónia integrada nas comemorações do Dia Internacional de Nelson Mandela (18 de julho).

Presidente de Portugal entre 1996 e 2006, Sampaio é destacado pela ONU no comunicado da distinção como um influente defensor do projeto de integração da União Europeia e do respetivo alargamento, por exemplo, à Turquia. Foi o chefe de Estado da entrega de Macau à China e foi um apoiante da independência de Timor-Leste.

Entre 2007 e 2013, Jorge Sampaio foi o Alto Representante da ONU para a Aliança entre Civilizações, por nomeação direta do atual Secretário-geral do organismo, Ban Ki-Moon. Mais recentemente, o também antigo presidente da Câmara e Lisboa (1989-1995) tornou-se membro da Comissão Global de Políticas de combate à Droga e foi um dos promotores da Plataforma Global para os Estudantes Sírios, lê-se no documento da ONU, que justifica a distinção com um dos dois primeiros prémios Nelson Mandela.



O prémio será entregue a cada cinco anos a duas individualidades, um homem e uma mulher, oriundos de continentes diferentes. A segunda escolha desta primeira edição é uma médica da Namíbia. Helena Ndume ganhou a admiração da ONU ao ter proporcionado a mais de 30 mil compatriotas consultas gratuitas de oftalmologia para tratamentos de cegueira, cataratas e miopia.

Atualmente, Ndume é chefe do serviço de Oftalmologia do Hospital Central de Windhoek.