This content is not available in your region

EUA/França: Escutas a presidentes eram "ajuda contra o terrorismo", diz Casa Branca

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira  com AFP, Reuters
EUA/França: Escutas a presidentes eram "ajuda contra o terrorismo", diz Casa Branca

<p>A França e os Estados Unidos já reagiram, oficialmente, às revelações do Wikileaks que caíram como uma bomba em França. Segundo essas notícias, os serviços de espionagem norte-americanos mantiveram sob escuta três chefes de estado franceses.</p> <p>o chefe da diplomacia francesa, Laurent Fabius, chamou a embaixadora dos Estados Unidos em Paris, Jane Hartley, para pedir explicações: “Podemos compreender que sejam espiar terroristas, mas espiar dirigentes de nações aliadas é algo completamente diferente. Pedi à embaixadora que nos fossem dadas explicações rapidamente”, disse Fabius. </p> <h3><span class="caps">EUA</span>: A desculpa do terrorismo</h3> <p>Para a Casa Branca, esta vigilância foi feita no quadro da luta antiterrorista e os Estados Unidos quiseram apenas ajudar a França: “Há uma ameaça de terrorismo extremista no interior de França neste momento. O povo e o governo de França levam isso muito a sério. Estou contente por os Estados Unidos, dada a nossa relação especial e as nossas capacidades, poderem contribuir substancialmente para esse esforço de manter o país e os cidadãos de França em segurança”, diz o assessor de imprensa da Casa Branca, Josh Earnest.</p> <p>Se para os norte-americanos tudo não passa de uma ajuda contra o terrorismo, o mesmo não pensam o presidente francês François Hollande e o primeiro-ministro Manuel Valls. Os Estados Unidos não justificaram o facto de as escutas remontarem pelo menos ao tempo da presidência de Jacques Chirac e terem também visado Hollande e o antecessor Nicolas Sarkozy. </p> <h3>Reações</h3> <p>No Twitter, vários políticos reagiram e pediram sanções aos <span class="caps">EUA</span>. Um deputado centrista chegou a defender a destruição da zona da embaixada americana onde as escutas foram feitas, como represália.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" lang="en"><p lang="fr" dir="ltr">Si la France se respectait elle ferait détruire la partie de l'ambassade des États Unis ou à lieu les écoutes <a href="https://twitter.com/hashtag/WikiLeaks?src=hash">#WikiLeaks</a></p>— Yves Pozzo di Borgo (@YvesPDB) <a href="https://twitter.com/YvesPDB/status/613588597690789888">June 24, 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>O ministro das finanças, Stéphane Le Foll, não ficou surpreendido…</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" lang="en"><p lang="fr" dir="ltr">"Le fait que je sois sur écoutes, ça fait longtemps que je me le dis. Avant même d'être ministre", dit <a href="https://twitter.com/SLeFoll">@SLeFoll</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/Normal?src=hash">#Normal</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/FranceLeaks?src=hash">#FranceLeaks</a></p>— Lilian Alemagna (@lilianalemagna) <a href="https://twitter.com/lilianalemagna/status/613594266846298112">June 24, 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p>Houve também quem tivesse reagido com humor.</p> <p><blockquote class="twitter-tweet" lang="en"><p lang="und" dir="ltr"><a href="http://t.co/PKND7M36mM">pic.twitter.com/PKND7M36mM</a></p>— Damien Lempereur (@dlempereur) <a href="https://twitter.com/dlempereur/status/613681786166595584">June 24, 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p> <p><blockquote class="twitter-tweet" lang="en"><p lang="fr" dir="ltr">Quand <a href="https://twitter.com/fhollande">@fhollande</a> demandera à <a href="https://twitter.com/POTUS">@POTUS</a> si <a href="https://twitter.com/hashtag/WikiLeaksElysee?src=hash">#WikiLeaksElysee</a> c'est la vérité. <a href="https://twitter.com/hashtag/FranceLeaks?src=hash">#FranceLeaks</a> <a href="https://twitter.com/hashtag/WikiLeaks?src=hash">#WikiLeaks</a> <a href="http://t.co/RbtCob7UX5">http://t.co/RbtCob7UX5</a></p>— Mehdi Z (@MehdiPeek) <a href="https://twitter.com/MehdiPeek/status/613629008299851776">June 24, 2015</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script></p>