Última hora

Última hora

Copa América 2015: O "hat trick" do peruano Guerrero e ainda o dedo do chileno Jara

Paolo Guerrero foi a grande figura da vitória do Peru sobre a Bolívia, nos quartos-de-final da Copa América. O novo avançado do Flamengo do Brasil

Em leitura:

Copa América 2015: O "hat trick" do peruano Guerrero e ainda o dedo do chileno Jara

Tamanho do texto Aa Aa

Paolo Guerrero foi a grande figura da vitória do Peru sobre a Bolívia, nos quartos-de-final da Copa América. O novo avançado do Flamengo do Brasil tinha ficado em branco na fase de grupos, mas entrou no “mata mata” ao melhor estilo, com um “hat-trick” que valeu aos peruanos a passagem às meias -finais da prova e ao jogador igualar o líder dos melhores marcados, o chileno Arturo Vidal.


Guerrero ainda não tinha marcado nesta Copa América, que se joga no Chile, ainda assim já tinha sido eleito o melhor em campo na partida diante da Venezuela, na segunda jornada da fase de grupos. Neste jogo, repetiu a distinção.

Nesta partida, bastaram 20 minutos para o peruano fazer o gosto… à cabeça. O avançado respondeu da melhor forma a um cruzamento da esquerda de Vargas e marcou um belo golo. Três minutos depois, a Bolívia dispôs de um livre à entrada da área peruana, a defesa cortou e Cuevas lançou um rápido contra-ataque, culminando com um passe a isolar Guerrero para o 2-0.

Na segunda parte, já com o sportinguista André Carrillo em campo, um erro clamoroso do boliviano Danny Bejarano deixou Guerrero de novo na cara de Quiñonez e o peruano não se fez rogado, fixando o “hat-trick” pessoal.

Pouco depois, no Peru, entrou Paolo Hurtado, jogador do Paços de Ferreira e, aos 84 minutos, Luís Advíncula, o jogador do vitória de Setúbal que tem sido titular indiscutível nos peruanos, cometeu penálti sobre Lizio e Marcelo Moreno assinou o golo de honra na despedida da Bolívia à Copa América.


Na segunda-feira, o Peru enfrenta o anfitrião Chile, na disputa por um lugar na final do torneio.

Atitude de Gonzalo Jara caiu mal no Mainz

Ainda notícia, entretanto, está a ser o caso protagonizado pelo chileno Gonzalo Jara e o uruguaio Edison Cavani. Aos 60 minutos do jogo entre as duas seleções, o defesa da “Roja” meteu um dedo no rabo do avançado “celeste” e este reagiu colocando ao de leve a mão na cara do adversário, que simulou uma agressão e “cavou” o segundo amarelo para o uruguaio.

O árbitro entendeu ter havido apenas má conduta de Cavani, deixou a equipa “celeste” com 10, o jogo ficou desequilibrado e aos 81 minutos o Chile marcou o único golo do jogo. Perto dos “90”, o ex-FC Porto Jorge Fucile tambem viu o segundo amarelo e o Uruguai acabou o jogo com “nove” jogadores. Diego Lugano deixou uma promessa a Jara.

As imagens do lance tem-se propagado pela internet e a conduta do defesa chileno tem sido criticada nos mais variados quadrantes. A condenação mais recente surgiu pelo diretor desportivo do Mainz, o clube alemão onde alinha Jara.

“É intolerável para nós. Mais do que o ato em si, o que me deixa mais irritado é a encenação que ele fez”, afirmou Christian Heidel, citado pelo jornal Bild.

A própria Conmebol anunciou a abertura de um inquérito disciplinar à conduta do defesa chileno e até o árbitro, o brasileiro Sandro Ricci, já terá sido vetado para o resto dos jogos desta Copa América.

A provocação de Jara a Cavani traz à memória uma outra do mesmo jogador a um outro uruguaio, Luís Suarez, há dois anos, num jogo da fase de qualificação para o Mundial de 2014. Aí, o chileno optou por meter a mão nos genitais do adversário e acabou alvo de um murro de Suarez que o árbitro dessa partida não viu, mas que também ficou registado nas imagens televisivas.