Última hora

Última hora

Grécia e quotas de acolhimento de migrantes dominam atualidade europeia

No programa "Europe Weekly" passamos em revista os assuntos que marcam a atualidade europeia

Em leitura:

Grécia e quotas de acolhimento de migrantes dominam atualidade europeia

Tamanho do texto Aa Aa

A semana que agora acaba foi intensa para a Grécia e para os credores internacionais. O fim de semana é crucial para Atenas e os pareceiros alcançarem um acordo que permita desbloquear o impasse. Nesta edição de “Europe Weekly” estamos, neste sentido, à conversa com Guntram Wulff, do “think tank” Bruegel, em Bruxelas.

Também esta semana, os líderes europeus alcançaram, um acordo em relação ao acolhimento de migrantes com base em quotas voluntárias. O primeiro-ministro italiano, que esperava um regime de obrigatoriedade que aliviasse o país da carga que tem às costas, disse aos parceiros europeus: “se essa é a ideia que têm da Europa, fiquem com ela.”

Ao fim de quase sete horas de negociações, os líderes europeus comprometeram-se a distribuir entre os Estados-membros cerca de 40 mil imigrantes que alcançaram as costas de Itália e da Grécia e outros 20 mil que estão fora das fronteiras europeias. Mas a medida é de caráter voluntário e contraria o plano do presidente da Comissão Europeia que propunha um sistema de quotas obrigatório para os Estados-membros.

O acordo isenta a Hungria e a Bulgária do sistema de realocação. Os dois países dizem que já estão ocupados com os próprios imigrantes ilegais e que não podem aceitar mais pessoas. A Hungria chegou mesmo a criar polémica durante a semana – antes da cimeira europeia – ao ameaçar desafiar a Convenção de Dublin sobre imigração.

Ainda nesta linha, os Estados-membros apoiaram uma operação de recolha de informação no Mar Mediterrâneo para prevenir os traficantes de pessoas de entrarem nas águas. O Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados alertou que os imigrantes encalhados em mar alto devem ser protegidos.

Agenda da próxima semana:

Segunda-feira – Bruxelas volta a ser palco de outra cimeira, desta vez entre a União Europeia e a China.

Terça-feira – Data limite para a Grécia pagar ao Fundo Monetário Internacional 1,6 mil milhões de euros.

Quarta-feira – Luxemburgo assume a presidência rotativa da União Europeia.

Sexta-feira – Dia da tradicional visita dos comissários.