Última hora

Última hora

Grupos de influência impedem controlo de uso e porte de armas nos EUA

O massacre de Charleston, foi resultado de uma fatal mistura de racismo e de proliferação de armas nos Estados Unidos. Nos dias seguintes, o

Em leitura:

Grupos de influência impedem controlo de uso e porte de armas nos EUA

Tamanho do texto Aa Aa

O massacre de Charleston, foi resultado de uma fatal mistura de racismo e de proliferação de armas nos Estados Unidos. Nos dias seguintes, o presidente norte-americano, Barack Obama, falou muito mais de armas do que racismo, pois em 2013, 11 000 perssoas foram mortas com armas de fogo.

Barack Obama:

- Não se vêem mortes a esta escala noutras nações civilizadas na terra. Todos pessoas violentas, rancorosas ou mentalmente perturbadas. A diferença é que nem todos os países têm um acesso tão direto às armas.

É a 15a vez que Obama faz uma declaração semelhante, a seguir a um tiroteio, durante a sua presidência.

Em julho de 2012, um ex-estudante da Universidade do Colorado matou 12 pessoas num cinema de Aurora.

Seis meses mais tarde, um estudante do liceu com 20 anos, colecionador de armas, matou 26 pessoas, entre as quais, 20 crianças, entre os 5 e os 10 anos de idade, numa escola de Newtown, no Connecticut. Esta nova tragédia chocou profundamente a América.
O presidente sentiu-se obrigado a propôr medidas de reforço do controlo da venda e posse de armas.

Barack Obama, 16/01/2013

- Vamos reforçar o sistema de verificação dos antecedentes criminais dos portadores de armas. Vamos conseguir que os profissionais de saúde mental tenham opções válidas para assinalar as ameaças de violência, mesmo sabendo que um doente mental é mais suscetível de ser vítima do que autor de um ato violento.

Apesar de um acordo entre republicanos e democratas, para estabelecer um sistema de verificação dos antecedentes criminais e psiquiátricos para a venda de armas, o Congresso, dominado por republicanos e comprometido com o lobby das armas, recusou a reforma.

Foi a tentativa mais importante depois de 20 anos para contrariar a violência ligada ao uso e porte de armas. Obama não se coibiu de acusar a influência da NRA (National Rifle Association) e dos fabricantes de armamento.

Nos Estados Unidos, 49% das armas são vendidas sem nenhum controlo. Há uma média de 88,8 de armas por cada 100 habitantes.