Última hora

Última hora

Presidente francês quer ajudar a diversificação da economia angolana

Em leitura:

Presidente francês quer ajudar a diversificação da economia angolana

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto milhares de portugueses saem de Angola por causa da crise no país africano, os franceses querer entrar.
E para abrir melhor as portas, o presidente François Hollande fez uma visita oficial a Luanda esta quinta e sexta-feira.
Acompanhado por 50 empresários, Hollande garantiu que o grande objetivo é o reforço das relações entre a França e Angola, que no passado “não foram muito fáceis”.

Hollande afirmou que “há muita atividade aqui em Angola, mas existem também muitas áreas em que os franceses podem investir, nomeadamente nas energias renováveis, no desenvolvimento sustentável, no urbanismo. Angola contribuiu para a segurança da República Centro Africana, dando apoio ao país, na mesma altura em que França também tentava impedir mortes e massacres. Quero agradecer o que Angola fez nesse período.”

Agora os dois países querem lançar um novo programa de cooperação com vista a diversificar a economia angolana, afectada desde 2014 pela crise da queda da cotação do barril de petróleo no mercado internacional. O ministro angolano da Economia Abrahão Gourgel disse ainda que “África está hoje mais preparada para cooperar com a Europa e para ser parceira de negócios.

E aos franceses parecem interessar parcerias em setores como o turismo, a hotelaria, infra-estruturas e construção.
O enviado da euronews a Luanda François Chignac lembrou que
“a visita a Angola é a principal etapa da tourné africana de François Holanda. A vitalidade económica desta potência regional africana pode ser estratégica numa altura em que a Europa atravessa uma das crises mais importantes da história.
Em Luanda, François Hollanda fez “Realpolitik”…como já o fizeram no passado Angela Merkel e Matteo Renzi”.