Última hora

Última hora

Gregos celebram o "Não"

Muitos líderes europeus assistiram com um amargo de boca à celebração efusiva dos gregos pela vitória do “Não”. No domingo, os gregos foram às urnas

Em leitura:

Gregos celebram o "Não"

Tamanho do texto Aa Aa

Muitos líderes europeus assistiram com um amargo de boca à celebração efusiva dos gregos pela vitória do “Não”.

No domingo, os gregos foram às urnas decidir se aceitavam as propostas dos credores num referendo que serviu de teste ao governo do país.

Segundo números definitivos divulgados pelo Ministério do Interior grego, o “Não” às propostas dos credores obteve 61,31%.

Com a totalidade dos votos contados, o “Sim” foi a escolha de 38,69%, enquanto 5,8% dos votos foram considerados brancos ou nulos.

A abstenção foi de 37,5%, num universo de quase 10 milhões de eleitores.

“Demos um exemplo de democracia. O que precisamos agora é de unidade nacional e unanimidade para formar uma frente nacional forte e retomar a normalidade da economia, e de imediato encontrar uma solução para os problemas durante as negociações com os nossos parceiros”, disse Alexis Tsipras, o primeiro-ministro grego.

Uma das primeiras consequências internas da vitória do “Não” foi a demissão de Antonis Samaras, líder do principal partido da oposição grega, o Nova Democracia.

Samaras liderou a campanha pelo “sim” às propostas dos credores internacionais.