Última hora

Última hora

União Europeia reage à vitória do "Não" em referendo na Grécia

No rescaldo do referendo na Grécia, a Comissão Europeia reiterou que “a estabilidade da zona euro não está em causa.” Em conferência de imprensa

Em leitura:

União Europeia reage à vitória do "Não" em referendo na Grécia

Tamanho do texto Aa Aa

No rescaldo do referendo na Grécia, a Comissão Europeia reiterou que “a estabilidade da zona euro não está em causa.”

Em conferência de imprensa, Valdis Dombrovskis, o vice-presidente do executivo comunitário responsável pelo euro, não deixou, no entanto, de dizer que a vitória do “Não” aumentou a distância entre o país e os parceiros europeus: “A Europa tem estado ao lado do povo grego ao longo desta crise. Os contribuintes europeus concederam uma assistência financeira sem precedentes. Ajudaram a Grécia para se reformar a economia do país, de forma a manter o orgulho e a independência sem depender de ajuda futura, mas as reformas foram muitas vezes atrasadas ou implementadas apenas de forma parcial, traduzindo-se em uma recessão prolongada e em reformas mais difíceis de implementar mais tarde.”

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, considerou o resultado do referendo “lamentável para a Grécia”, mas assegura que a meta continua a ser a continuidade do país na zona euro: “Independentemente do resultado do referendo são precisas medidas difíceis. Caso contrário, o país não vai sobreviver, as funções do governo não melhorarão e a economia não vai crescer. Se as pessoas e o Governo rejeitam medidas difíceis a situação torna-se bastante complicada.

Para esta terça-feira está agendada uma reunião do Eurogrupo, destinada a discutir a situação na Grécia.

O ministro grego das Finanças, Yanis Varoufakis, apresentou a demissão e deverá ser substituído por Euclid Tsakalotos, que lidera as negociações gregas com os credores.

Também esta terça-feira deverá realizar-se uma cimeira extraordinária dos líderes da zona euro.