This content is not available in your region

Vitória incontestável do "Não" no referendo grego

Access to the comments Comentários
De  Rodrigo Barbosa  com AFP / EFE / Lusa
Vitória incontestável do "Não" no referendo grego

<p>Vitória contundente do “Não” no referendo deste domingo na Grécia. </p> <p>Mais de 61 por cento dos eleitores gregos que acudiram às urnas rejeitaram as propostas dos credores internacionais e as políticas de austeridade. A taxa de participação ultrapassou os 62 por cento.</p> <p>Para o ministro das Finanças, Yannis Varoufakis, “os gregos disseram ‘não’ a cinco anos de hipocrisia”.</p> <p>O primeiro-ministro grego afirmou, por seu lado, que “tomando em consideração as circunstâncias bastante difíceis da última semana, [os gregos] fizeram [este domingo] uma escolha muito corajosa”. Alexis Tsipras disse estar “consciente que não é um mandato para quebrar com a Europa, mas para fortalecer a posição nas negociações para encontrar uma solução viável”.</p> <p>Tsipras precisou ainda que “a Grécia vai voltar à mesa das negociações, tendo como primeira prioridade restabelecer o sistema bancário, o mais rápido possível, para obter uma estabilidade financeira. O Banco Central Europeu compreenderá certamente, não só a situação financeira, mas também a dimensão humanitária da crise no país”.</p> <p>Em termos da política interna, a primeira vítima da consulta popular foi o líder da principal formação da oposição grega: depois de ter conduzido a campanha pelo “Sim”, o ex-primeiro-ministro Antonis Samaras demitiu-se da direção do partido de centro-direita, Nova Democracia.</p>