Última hora

Última hora

O dia em que os piratas foram pirateados

O feitiço virou-se contra o feiticeiro - Os documentos de uma empresa que fornecia "spyware" a governos foram agora divulgados.

Em leitura:

O dia em que os piratas foram pirateados

Tamanho do texto Aa Aa

A empresa italiana Hacking Team dedicava-se a fornecer “software” de vigilância a governos, o qual era usado para entrar em computadores e fazer escutas telefónicas.

Agora, foram os próprios “hackers” da Hacking Team a ser alvo de pirataria. Mais de 400 GB de documentos da empresa foram tornados públicos. Eis o que ficámos a saber.

O México é o melhor cliente

Seguem-se Itália, Marrocos e a Arábia Saudita.

A empresa está referenciada como “Inimiga da Internet”

A ONG Repórteres Sem Fronteiras qualifica assim a Hacking Team, devido sobretudo à ferramenta de vigilância DaVinci, que permite ativar à distância o microfone de um “smartphone” ou entrar no sistema operativo de um computador.

Os alvos são ONG

Segundo uma informação do
sítio The Intercept, este “software” tem sido usado para espiar ONG como a human Rights Watch ou o Citizen Lab.

A Hacking Team pode parecer um e-comerciante “normal”

Mesmo se se trata de artigos de espionagem, a Hacking Team atua como qualquer outra loja “online”. Pelo menos, é a impressão que temos ao ver a lista de produtos que vendem. Por exemplo, sobre o sistema de controlo remoto Galileo, explica que este dispositivo permite recolher dados num computador à distância, de forma a não deixar rasto.

A conta da empresa no Twitter focaliza-se na utilidade do “software” de vigilância.

O que fazem é legal

“Não quebrámos nenhuma lei e o que fazemos é absolutamente ético”, palavras de responsáveis da empresa ao jornal IBTimes UK “.

A eurodeputada liberal Marietje Schaake já interpelou a comissão Europeia e denunciou as práticas da Hacking Team

Leia mais aqui

CSO Online
The Intercept
Interesse de países europeus)
Espanha é cliente