Última hora

Última hora

Gregos descontentes e com pouca esperança

Como seria de esperar a tensão na Grécia não se vive apenas no foro político. Desde 28 de junho que os bancos estão fechados, permitindo apenas, aos

Em leitura:

Gregos descontentes e com pouca esperança

Tamanho do texto Aa Aa

Como seria de esperar a tensão na Grécia não se vive apenas no foro político. Desde 28 de junho que os bancos estão fechados, permitindo apenas, aos pensionistas, por exemplo, fazerem pequenas retiradas de dinheiro e os levantamentos estão a ser racionados. Esta situação está a criar, cada vez mais, descontentamento e até mesmo violência.

Para os gregos, nem a possibilidade de acordo é sinal de esperança:

“A questão que se coloca não é se aceitamos, é saber se as novas medidas são aceitáveis. Acho que não há muito a dizer quando temos 30% de desempregados…”, desabafa Natasha, que está desempregada.

“Estamos confusos. Não queremos, de todo, deixar a Europa, nenhum grego quer deixar a Europa. No entanto, todas estas medidas pioraram a vida de muitas pessoas e muitas delas querem acabar com isto. Estamos todos muito tristes, mas não queremos deixar a Europa”, adianta um reformado, George Markoulakis.

Alexis Tsipras está no centro das atenções. Ele tem de, por um lado, conseguir a confiança dos seus pares mas, acima de tudo, não desiludir os gregos que votaram nele.