Última hora

Última hora

Centenas de húngaros manifestaram-se contra construção de muro anti-imigrantes

Centenas de pessoas manifestaram-se em Budapeste esta terça-feira contra a decisão do governo húngaro de construir um muro na fronteira com a Sérvia

Em leitura:

Centenas de húngaros manifestaram-se contra construção de muro anti-imigrantes

Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de pessoas manifestaram-se em Budapeste esta terça-feira contra a decisão do governo húngaro de construir um muro na fronteira com a Sérvia. O objetivo é travar a entrada de imigrantes no país. A sociedade húngara está dividida, mas os manifestantes garantem que a medida é desumana.

Márk Zoltán Kékesi, ativista da associação Migrant Solidarity, espera que “este muro não chegue a ser construído até ao fim: para além de ser muito caro, não traz qualquer benefício e conduz a Hungria a uma situação embaraçosa, deixa o país isolado, não faz sentido”.

Mas a construção desta obra, que deve custar 21 milhões de euros, já arrancou, esta segunda-feira. A correspondente da euronews em Budapeste, Andrea Hajagos lembra que “quando os organizadores anunciaram esta manifestação ainda não sabiam que a construção do muro na fronteira entre a Sérvia e a Hungria já tinha começado a ser construído”.

Os trabalhos arrancaram então esta segunda-feira. O muro de quatro metros de altura, vai ter para já 150 metros de comprimento, mas o executivo húngaro já garantiu que, se tudo correr bem, vai ter 175 quilómetros de comprimento, ou seja, vai percorrer toda a fronteira com a Sérvia, um país que aspira a juntar-se à União Europeia e que já apresentou um protesto por este plano.

Outro Estado-membro da União Europeia, a Bulgária, ergueu um muro ao longo de 30 dos 240 quilómetros da fronteira com a Turquia, para impedir a entrada de imigrantes. O executivo búlgaro espera prolongá-lo por mais 82 quilómetros ainda este ano.