Última hora

Última hora

Violência em Atenas antecipa aprovação de memorando

Ainda antes da aprovação, pelo parlamento grego, do novo pacote de medidas, já um grupo de pessoas expressava o seu descontentamento nas ruas de

Em leitura:

Violência em Atenas antecipa aprovação de memorando

Tamanho do texto Aa Aa

Ainda antes da aprovação, pelo parlamento grego, do novo pacote de medidas, já um grupo de pessoas expressava o seu descontentamento nas ruas de Atenas. Uma manifestação pacífica acabou em confrontos entre a polícia e manifestantes, na principal praça da capital grega. Pelo menos seis pessoas ficaram feridas e 40 foram detidas. Os protestos degeneraram em violência quando alguns gregos desafiaram a polícia, chegando mesmo a queimar máquinas multibanco:

“Começou numa marcha pacífica, contra o novo memorando, mas o centro da cidade transformou-se, rapidamente, num campo de batalha. Um grupo de homens mascarados atirou pedras e ‘cocktails molotov’ contra a polícia que respondeu com gás lacrimogéneo”, explica o correspondente da euronews em Atenas, Apostolos Staikos.

A marcha pacífica começou durante o dia e pretendia ser um protesto contra a aceitação do novo pacote de medidas:

“Eu diria ao Primeiro-ministro, Alexis Tsipras, que ele nos traiu. Ele traiu as nossas expectativas, honestamente, pensávamos que se preocupava mais com o nosso país. Pensámos que ele era diferente. Não confiávamos nos antigos governos, nos velhos políticos. Ele era a nossa última esperança”, desabafa uma jovem grega.

“Chega de mentiras. Estamos fartos. Mais de 200 mil jovens abandonaram o país. Eles são o futuro da Grécia e estamos a mandá-los para fábricas na Alemanha. Para quê? Devíamos ficar todos na Grécia e trabalhar juntos, como se fossemos só um”, diz um grego.

Os protestos estenderam-se a outras cidades.
A maioria dos gregos votou não no referendo e apercebe-se, agora, que o fez para nada.