Última hora

Última hora

Empresa japonesa pede desculpa pelo uso de prisioneiros de guerra

O gesto da Mitsubishi Materials, até agora inédito, traz a lume o trabalho forçado de prisioneiros durante a Segunda Guerra Mundial.

Em leitura:

Empresa japonesa pede desculpa pelo uso de prisioneiros de guerra

Tamanho do texto Aa Aa

A Mitsubishi Materials tornou-se na primeira empresa japonesa a pedir oficialmente desculpas pelo papel que teve na Segunda Guerra Mundial.

Point of view

Desde há 70 anos, desde que a guerra acabou, os prisioneiros de guerra pediam apenas algo muito simples: um pedido de desculpas".

Os dirigentes da empresa lamentaram o uso de mão-de-obra de prisioneiros de guerra, numa cerimónia em que esteve presente também um americano, ex-prisioneiro.

“Mantendo o espírito de missão da nossa empresa, quero pedir desculpa pelos acontecimentos trágicos do nosso passado e mostrar a nossa determinação em trabalhar por um futuro melhor”, disse o diretor da Mitsubishi Materials, Hikaru Kamura.

Para os antigos prisioneiros como James Murphy, este é um momento há muito esperado: “Acabámos de assistir a algo histórico, porque desde há 70 anos, desde que a guerra acabou, os prisioneiros de guerra pediam apenas algo muito simples: um pedido de desculpas”.

A guerra do Pacífico, que envolveu os Estados Unidos e o Japão, foi um dos episódios mais longos da Segunda Guerra Mundial. Começou com o ataque a Pearl Harbor em 1941 e só acabou com as bombas de Hiroxima e Nagasaki, em agosto de 1945, três meses depois de a Alemanha nazi ter capitulado.