Última hora

Última hora

Acidente de Jan Ullrich volta a ser investigado e ameaça com prisão

O alemão protagonizou um grave acidente em maio do ano passado, ma Suíça, deixando 2 feridos e 3 carros destruídos. Conduzia sob efeito de álcool e medicamentos

Em leitura:

Acidente de Jan Ullrich volta a ser investigado e ameaça com prisão

Tamanho do texto Aa Aa

Chegou a ser dado como resolvido, mas o julgamento do antigo vencedor da volta a França Jan Ullrich vai ser relançado, por decisão do tribunal distrital de Weinfelden, na Suíça. Em causa, novos dados sobre a velocidade a que se deu o acidente de automóvel do antigo ciclista alemão a 19 de maio do ano passado, no cantão suíço de Thurgau, do qual resultaram 2 feridos, 3 carros destruídos e prejuízos de quase 70 mil euros.



Ullrich conduzia um Audi e terá embatido num Citröen a cerca de 100km/hora já em em processo de travagem, catapultando o carro atingido para fora da estrada. O veículo do alemão terá ainda embatido num Alfa Romeo que se aproximava.
O alemão conduzia embriagado com uma taxa de alcoolemia de 1,8 e revelou vestígios de valium no sangue. De início, o julgamento partia do pressuposto que Ullrich circulava a 139 km/hora antes da travagem, mas novos dados indiciam que o alemão seguiria a 142 km/hora — três quilómetros que fazem toda a diferença.

De acordo com a lei helvética, se um condutor for apanhado a circular a mais de 140 km/ hora arrisca desde logo passar um ano na prisão.


Os novos dados levaram o tribunal a não aceitar o acordo que o antigo ciclista alemão, agora com 41 anos, tinha entretanto conseguido com o Ministério Público, no qual Ullrich assumia a culpa e aceitava uma pensa suspensa por quatro anos de 18 meses de prisão e o pagamento de uma multa de 10.000 francos suíços — cerca de 9600 euros. Agora, o alemão arrisca vir a passar mesmo uma temporada atrás das grades na Suíça.
No currículo de Ullrich estão já uma condenação em 2007 por excesso de velocidade e há cerca de 13 anos uma outra também por condução sob efeito de álcool. Agora, o antigo ciclista junta as duas infrações no mesmo acidente.