Última hora

Última hora

Estrelas da Fórmula 1 na última salva de palmas para Jules Bianchi

O francês sofreu um aparatoso acidente a 5 de outubro, no GP do Japão, em Suzuka, passou nove meses em coma e morreu sexta-feira. A FIA anunciou a retirada do número 17 do mundial deste ano em homenag

Em leitura:

Estrelas da Fórmula 1 na última salva de palmas para Jules Bianchi

Tamanho do texto Aa Aa

Várias personalidades do desporto automóvel estiveram esta terça-feira no derradeiro adeus a Jules Bianchi, o piloto de Fórmula 1 da Marussia que morreu sexta-feira após um grave acidente no Grande Prémio do Japão, no início de outubro, e mais de nove meses em coma.
O atual campeão do mundo Lewis Hamilton e o colega de equipa na Mercedes, Nico Rosberg; o brasileiro Felipe Massa, da Williams; ou a antiga estrela dos monovolumes Alain Prost estiveram presentes, assim como Jean Todt, atual presidente da Federação Internacional do Automóvel (FIA); Christian Estrosi, presidente da câmara municipal de Nice; e Thierry Braillard, secretário de Estado dos desportos franceses.



O agente do piloto, Nicolas Todt, filho de Jean Todt, lembrou o bom homem que partiu: “É verdade que a Fórmula 1 é um trabalho complicado, onde muitas vezes se pode perder o sentido da realidade. O Jules sempre soube manter-se humilde e amigo de todas pessoas. Isso fez dele uma pessoa diferente das demais.”
Piloto de Fórmula E e, tal como Bianchi, antigo piloto de testes da Ferrari, Jean-Éric Vergne, recordou “uma pessoa extraordinária”: “Era muito bonito por dentro e por fora. Hoje ele está no céu ao lado de todos os grandes nomes da Fórmula Um e vai manter-se para sempre um campeão nos nossos corações.”

O funeral de Jules Bianchi, de apenas 25 anos (faria 26 a 3 de agosto), decorreu após uma emotiva cerimónia privada na catedral de Sainte Reparate, em Nice, França.
O piloto gaulês inscreve o nome na lista negra de mortes na Fórmula Um mais de vinte anos depois de Ayrton Senna. No adeus, Bianchi teve direito a mais uma salva de palmas.

A FIA decidiu, entretanto, retirar o número 17 do Mundial de Fórmula 1. “Jean Todt, presidente da Federação Internacional de Automobilismo, anunciou hoje (segunda-feira) que o número 17 vai ser retirado do Campeonato do Mundial de Fórmula 1 em homenagem a Jules Bianchi”, le-se num comunicado publicado no site do organismo.

Bianchi morreu sexta-feira, na sequência de um despiste sofrido há nove meses no Grande Prémio do Japão, no Circuito de Suzuka. Sob condições atmosféricas adversas, devido à chuva e reduzida visibilidade, o francês, que conduzia o Marussia número 17, colidiu com uma grua que retirava o Sauber acidentado do alemão Adrian Sutil da gravilha.




Após o aparatoso acidente, o piloto foi de imediato transportado para o hospital de Mie, no Japão, no qual foi operado às graves lesões na cabeça, ficando desde esse dia em coma, estado do qual nunca recuperou.