Última hora

Última hora

Quatro anos depois, exposição sobre atentados na Noruega faz polémica

O memorial inaugurado pela primeira-ministra Erna Solberg está a sofrer alguma contestação.

Em leitura:

Quatro anos depois, exposição sobre atentados na Noruega faz polémica

Tamanho do texto Aa Aa

Foi há exatamente quatro anos que a Noruega foi abalada pelos atentados de Oslo e da ilha de Utøya.

Point of view

Só quem perdeu um filho ou uma filha pode entender a dimensão desta dor.

O aniversário foi marcado por uma cerimónia em que foram lembradas as 77 pessoas mortas por Anders Breivik com a bomba no centro de Oslo e o tiroteo na ilha onde decorria o encontro da juventude do partido trabalhista. A primeira-ministra Erna Solberg participou na cerimónia: “Não posso dizer que entendo, porque só quem perdeu um filho ou uma filha pode entender a dimensão desta dor. Mas tentamos compreender, mostrar respeito e compaixão”, disse a chefe de governo.

No entanto, as cerimónias para assinalar o aniversário não são consensuais. Foi inaugurada em Oslo uma exposição onde se podem ver objetos como a carcaça do carro armadilhado ou o falso distintivo da polícia que Breivik usou para chegar a Utøya.

Os críticos dizem que a exposição pode parecer um memorial em honra do assassino. A cumprir pena de prisão, Breivik foi agora admitido na Universidade.

A exposição da polémica

Objetos de Anders Behring Breivik

Câmaras e outros pertences das vítimas

O que resta do carro armadilhado usado no ataque

Visitantes no Centro 22 de julho, no bairro governamental de Oslo, na Noruega

Fotos: REUTERS/Fredrik Varfjell/NTB scanpix