Última hora

Última hora

Imigração: Uma Europa a várias velocidades

A determinação de Bruxelas em fazer face à vaga migratória na Europa de forma solidária parece ter sido refreada por vários países da UE. Longe do

Em leitura:

Imigração: Uma Europa a várias velocidades

Tamanho do texto Aa Aa

A determinação de Bruxelas em fazer face à vaga migratória na Europa de forma solidária parece ter sido refreada por vários países da UE.

Longe do plano da Comissão de repartir 40 mil migrantes provenientes de Itália e Grécia, os 28 chegaram a um tímido acordo na segunda-feira para distribuir apenas 32 mil pessoas.

Entre a Áustria que recusa comprometer-se com qualquer número e países como o Reino Unido e Dinamarca que não têm obrigação de participar no plano, o acordo final acabou por ser adiado para dezembro.

A repartição atual dos 32 mil migrantes reflete uma Europa “a duas velocidades” em termos de acolhimento de migrantes, entre Dublin que aceitou acolher 600 pessoas, sem ter essa obrigação e Espanha que aceitou menos de um terço do previsto. A Húngria, que neste momento ultima a construção de um muro para conter o fluxo migratório, também ficou fora do acordo.



A proposta da Comissão prevê igualmente o acolhimento de outros 20 mil refugiados provenientes de países como a Síria ou o Afeganistão. Também neste ponto os 28 mostram-se divididos entre os que estão dispostos a aceitar mais pessoas do que o pedido e aqueles que não estão prontos a seguir as indicações de Bruxelas.