Última hora

Última hora

Pirlo pode estrear-se pelo New York City diante do mais bem pago da MLS

Médio italiano vai receber cerca de 2,3 milhões de dólares por ano e nem entra no top-10 dos mais bem pagos da Liga norte-americana, que é liderada pelo ex-colega do Milan Kaká, com 7,16 milhões de dó

Em leitura:

Pirlo pode estrear-se pelo New York City diante do mais bem pago da MLS

Tamanho do texto Aa Aa

Andrea Pirlo foi finalmente apresentado de forma oficial como o terceiro jogador designado dos New York City, da Liga profissional de futebol dos Estados Unidos (MLS). O médio italiano, de 36 anos, junta-se ao inglês Frank Lampard, 37, e ao espanhol David Villa, 33, na sucursal americana do Manchester City.


Ao contrário dos ilustres colegas designados, o salário de Pirlo nem chega aos 5 milhões de dólares anuais, de acordo com a lista divulgada a 15 de julho pelo sindicato dos jogadores da MLS .

O internacional italiano, curiosamente, nem entra no top-10 dos mais bem pagos da Liga norte-americana, numa lista liderada pelo brasileiro Kaká, com 7,16 milhões de dólares/ ano no Orlando City, seguido do italiano Sebastian Giovinco, ex-Juventus, com 7,11 milhões/ano no Toronto FC.


[[ Confira aqui, em PDF, a lista dos salários da MLS divulgada pelo sindicato ]]

Andrea Pirlo garantiu, contudo, na apresentação que não cruzou o Atlântico pela boa vida em Nova Iorque, mas sim para trabalhar. “Não sou o tipo de pessoa que vem para a América fazer turismo ou publicidade. Venho, sim, para jogar futebol, que é o mais importante para mim. Depois, se também puder ajudar a MLS a crescer, tanto melhor. Mas o mais importante para mim será ajudar a equipa e jogar futebol”, reforçou.


O italiano já está a treinar com os novos companheiros há alguns dias e a estreia pelo New Yotk City pode acontecer já este domingo contra o Orlando City, a equipa, curiosamente, do brasileiro Kaká, antigo companheiro de equipa de Pirlo no AC Milan.

A dar motivação ao italiano está ainda a “squadra azurra”. “Falei com Conte (o selecionador) e disse-lhe o que tinha em mente. Temos um bom relacionamento e, depois, ele decidirá se me convoca ou não. Tudo depende do que acontecer no campo”, rematou Pirlo.