Última hora

Última hora

Jerusalém: Seis participantes no desfile "gay pride" esfaqueados

O autor da agressão tinha já protagonizado um ataque semelhante em 2005.

Em leitura:

Jerusalém: Seis participantes no desfile "gay pride" esfaqueados

Tamanho do texto Aa Aa

A polícia israelita prendeu o autor da agressão contra os participantes no desfile de “orgulho gay”, em Jerusalém.

Point of view

A homofobia está enraizada nesta cidade, mas o desfile serve exatamente para mudar isso.

O homem tinha ferido à facada pelo menos seis pessoas, entre elas uma mulher que ficou em estado crítico. Trata-se de um judeu ultraortodoxo que não é, de todo, desconhecido da justiça de Israel.

Em 2005, o mesmo homem tinha atacado, também à facada, três pessoas que participavam no desfile. Foi libertado da prisão há pouco tempo, depois de uma pena de dez anos. Aparentemente, não perdeu tempo e repetiu o ataque.

Benny tem 21 anos e assistiu a tudo. Para ele, o incidente não estragou o espírito da festa: “A homofobia está enraizada nesta cidade, mas o desfile serve exatamente para mudar isso. E vamos mudar. Basta uma pessoa para fazer algo assim, mas felizmente trata-se de uma minoria”.

O incidente foi condenado por todos os partidos israelitas e até pela organização ultraconservadora Lehava, que tinha organizado uma contramanifestação de protesto contra o “gay pride”.