Última hora

Última hora

La isla mínima arrebatou os prémios Goya

Em leitura:

La isla mínima arrebatou os prémios Goya

La isla mínima arrebatou os prémios Goya
Tamanho do texto Aa Aa

Esta semana trazemos-lhe uma “La Isla Mínima”, o filme do realizador Alberto Rodríguez que arrebatou em Madrid dez galardões na 29ª. edição dos prémios Goya – os Óscares de Espanha – entre os quais os de melhor filme, realização, argumento original, direção de fotografia, ator principal (Javier Gutiérrez) e atriz revelação (Nerea Barros).

Andaluzia, 1980. Detetives de Madrid são enviados para o sul de Espanha para investigar o misterioso desaparecimento de duas irmãs. E descobrem rapidamente que o desaparecimento está ligado a outros casos não resolvidos na região.

A excelente cinematografia capta em detalhes impressionantes a crueza da paisagem andaluza, enquanto o enredo se desenlve, no calor de um verão sufocante.

Imagens aéreas do Guadalquivir a estender-se no horizonte parecem falar do isolamento da população local.

Através das personagens principais – um detetive veterano com métodos da era franquista e um jovem que deseja mudança – o realizador retrata um país ao mesmo tempo preso ao passado e com os olhos no futuro.

O filme foi exibido em dezembro do ano passado em Portugal, no quadro do Cinefiesta, Mostra de Cinema Espanhol, que contou com a presença da actriz Nerea Barros.

“La Isla Mínima”, um drama soberbamente tecido por Alberto Rodríguez, que vai colá-lo à cadeira até ao golpe final. Aprecie o filme e …até breve!

Mais sobre cinema