Última hora

Última hora

Dilma impopular agarra-se à legitimidade do voto

O “panelaço” de quinta-feira não assustou Dilma Roussef. A presidente do Brasil reagiu ontem ao protesto afirmando que “ninguém vai tirar a

Em leitura:

Dilma impopular agarra-se à legitimidade do voto

Tamanho do texto Aa Aa

O “panelaço” de quinta-feira não assustou Dilma Roussef. A presidente do Brasil reagiu ontem ao protesto afirmando que “ninguém vai tirar a legitimidade que o voto me deu”.

Os dados revelados pelo Datafolha, há dois dias, mostram que Dilma é a presidente mais impopular do país, desde que começaram a ser coligidos estes dados, em 1990. A dirigente do PT regista um nível de rejeição de 71 por cento, um valor superior ao de Collor de Mello antes de ser forçado a demitir-se, em 1992.

O protesto de quinta-feira em várias cidades do país decorreu durante os 10 minutos que durou a alocução da presidente e o spot publicitário que muitos acharam uma provocação.

O politólogo Ricardo Ismael sublinha que Dilma perdeu a sua base de apoio:

“A pesquisa Datafolha mostra que a Dilma perdeu popularidade, não foi apenas com quem votou nela, é com quem votou. E aí é que está o problema. Quando você vai para o Nordeste, e a pesquisa Datafolha mostrou ontem, 67 por centos dos eleitores do Nordeste, entrevistados, querem o impeachment.”

Dilma Roussef foi reeleita há dez meses mas a marcha pela impugnação já está nas ruas. Dia 16 está agendada mais uma manifestação nacional.