Última hora

Última hora

Portugal mantém intenso combate a incêndios e PJ detém suspeitos de fogo posto

Portugal têm vivido momentos dramáticos nos últimos dias por causa do grande número de incêndios que registados, em especial, no norte e centro do

Em leitura:

Portugal mantém intenso combate a incêndios e PJ detém suspeitos de fogo posto

Tamanho do texto Aa Aa

Portugal têm vivido momentos dramáticos nos últimos dias por causa do grande número de incêndios que registados, em especial, no norte e centro do país. Não há registo de vítimas, mas muitas populações e casas isoladas têm estado em perigo. Vários suspeitos de atear incêndios têm sido detidos nos últimos dias.

Os distritos de Viseu, Guarda e Viana do Castelo são dos mais atingidos, de acordo com a constante atualização do mapa de incêndios divulgada pela Proteção Civil. Nas freguesias de Aldeias e Mangualde da Serra, distrito de Gouveia, por exemplo, quase 300 operacionais mantinham uma luta cerrada contra as chamas, apoiados cerca de uma centena de meios terrestres, três aviões e um helicóptero. Em Palmela, no distrito de Setúbal, um incêndio matinha-se ativo e sem controlo pelas 17 horas junto às Lagameças.



O mapa de registos apresentou, ainda assim, algumas melhorias esta terça-feira. Num balanço feito à agência Lusa sobre a situação dos incêndios florestais, o comandante da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) disse que ao final da manhã a preocupação estava centrada no fogo que lavra desde segunda-feira no concelho de Gouveia, tendo em conta que está a desenvolver-se num “território difícil”.


“Temos uma situação a merecer a nossa preocupação. Em Gouveia no distrito da Guarda, um incêndio que se está a desenvolver no Parque Natural da Serra da Estrela e a merecer uma atenção muito especial, quer pelo número de meios, quer pelos reforços”, afirmou José Manuel Moura, adiantando que este fogo começou segunda-feira em simultâneo com outras 20 ocorrências.
“O panorama a esta hora (sensivelmente 15 horas) é francamente positivo e favorável, temos ainda este grande incêndio a merecer preocupação que vai dar muito trabalho, mas as perspetivas são fracamente melhores”, realçou.

Vários suspeitos de fogo posto têm sido, entretanto, capturados nos últimos dois dias, no norte e centro do país. Na noite de segunda-feira, populares apanharam em flagrante, na zona de Penacova, distrito de Coimbra, um homem com cerca de 50 anos a atear dois fogos. O alegado pirómano foi entregue às autoridades e os populares extinguiram os dois potenciais focos de incêndio.
A Polícia Judiciária (PJ) anunciou, entretanto, a detenção de um outro indivíduo, com cerca de 20 anos, pela “presumível” autoria de dois crimes de incêndio florestal, “por motivos fúteis e num quadro de diversão”, com recurso a um isqueiro e quando circulava de bicicleta “por caminhos florestais próximos do local de residência.”

De acordo com o registo de ocorrências da Proteção civil, até segunda-feira, 10 de agosto, foram registados 2071 incêndios — mais de metade dos registados em todo o mês de julho (4056) —, dos quais 37 por cento (764) terão começado entre as 20 horas e as 08h — um agravamento de 2 por cento nas ocorrências noturnas face a todo o mês anterior (1409).

A Galiza, em Espanha, está também a ser vítima de incêndios. Ao todo, de acordo com o jornal El Dia, já terão sido afetados pelas chamas mais de 330 hectares nas províncias de Ourense, junto ao norte de Portugal, e da Corunha.

Ao final da tarde, o jornal Faro de Vigo anunciava o controlo dos incêndios que ainda lavravam em Entrimo, na parte espanhola do Parque Natural do Gerês, e Pereiro de Aguiar, ambos na província de Ourense.