Última hora

Última hora

Chelsea Manning foi considerada culpada num processo de violação das regras da prisão

Chelsea Manning vai passar 21 dias sem poder participar nas atividades da prisão militar onde se encontra a cumprir uma pena de 35 anos. Chelsea

Em leitura:

Chelsea Manning foi considerada culpada num processo de violação das regras da prisão

Tamanho do texto Aa Aa

Chelsea Manning vai passar 21 dias sem poder participar nas atividades da prisão militar onde se encontra a cumprir uma pena de 35 anos. Chelsea, anteriormente conhecida como Bradley, tinha escondidas na cela alguns objetos considerados proibidos no estabelecimento prisional. Chelsea Manning foi condenada por “divulgar documentos confidenciais através do Wikileaks:“http://pt.euronews.com/2013/07/30/informador-da-wikileaks-foi-considerado-culpado-mas-escapou-a-acusacao-mais-/ , fundado por Julian Assange.

Manning chegou a ser ameaçada com um período de duração indeterminada numa cela solitária, mas vai ficar apenas privada de usar a biblioteca e o ginásio.

Na cela de Chelsea Manning foram encontradas uma edição da revista Vanity Fair com Caitlyn Jenner. na capa, as memórias de Malala Yousafzai, o relatório do senado norte-americano sobre tortura, tornado público este ano, e outras revistas.

Nascida com o sexo masculino e conhecida anteriormente como Bradley, Manning foi ainda acusada de “desrespeito” e “conduta imprópria” na prisão do Kansas. Uma das suas advogadas, Nancy Hollander reagiu a esta decisão na rede social Twitter: “As acusações ridículas feitas a Chelsea não a vão calar. Vamos continuar a trabalhar de forma árdua no recurso para anular todas as decisões”.

Entretanto está a ser realizada uma petição contra o exército norte-americano que já conta com mais de 100 mil assinaturas. Os apoiantes de Chelsea acusam exército de perseguir o antigo militar.

Recorde-se que Manning foi presa depois de ter divulgado documentos confidenciais do governo dos Estados Unidos enquanto era militar nas forças armadas, incluindo um vídeo de um ataque aéreo dos EUA que matou 12 pessoas e feriu duas crianças em Bagdad em 2007, incluindo dois jornalistas da agência Reuters. Manning foi condenada a 35 anos de prisão. Depois de ter sido anunciada a condenação anunciou a sua intenção de mudar de sexo e passar a ser conhecida como Chelsea.