Última hora

Última hora

Perversidade do tráfico humano na Europa causa cada vez mais dramas

A ONU desembarcou, na Catania, em Itália, mais um contentor com 49 cadáveres de migrantes asfixiados entre outros 312, num pequeno barco de pesca com

Em leitura:

Perversidade do tráfico humano na Europa causa cada vez mais dramas

Tamanho do texto Aa Aa

A ONU desembarcou, na Catania, em Itália, mais um contentor com 49 cadáveres de migrantes asfixiados entre outros 312, num pequeno barco de pesca com passageiros a mais.

Point of view

O objetivo principal não é destruir os barcos, mas destruir o modelo de negócio dos traficantes

É o terceiro drama deste mês causado pelos mais perversos traficantes de seres humanos.

Oito, destes homens sem escrúpulos, foram presos pela polícia italiana. São líbios, marroquinos e um sírio. Entre outros crimes, são acusados de ter batido na cabeça dos passageiros que tentavam sair, quando o ar se tornou irrespirável.

A exploração da miséria e do caos tornou-se um negócio rentável. A Líbia é uma das placas giratórias deste tráfico. Os que não conseguem entrar na Europa ficam detidos em campos ondem sao regularmente espancados e sobrevivem em condições desumanas.

Os traficantes estão cada vez mais ativos, crueis, muitos são homicidas. Os testemunhos também aumentaram, pois são cada vez mais os que tentam chegar ao El Dourado europeu, por todas as estradas possíveis, todas as vias, ariscando a vida a cada salto para um camião ou comboio. Muitos são chantageados, violados, abandonados.

Pagam somas exorbitantes.

Este comércio negro dá um lucro de vários milhões aos traficantes e favoriza a corrupção e o crime organizado nos países de partida, de trânsito e de chegada.

A chefe da diplomacia europeia referiu-se a isto em maio deste ano:

Federica Mogherini:

- O objetivo principal não é destruir os barcos, mas destruir o modelo de negócio dos traficantes.

Calcula-se que os traficantes ganhem 135 milhões por ano.

Uma travessia custa entre 1800 e 10 000 euros

Só em Calais, no norte de França, o volume de negócios é de meio milhão a um milhão por ano.

Por um barco com 500 pessoas, o traficante encaixa de meio a um milhão de euros.

Alguns passadores são amadores que se aproveitam de um sistema que nada mais tem para dar. Mas o tráfico generalizado profissionaliza-se rapidamente, tão organizado como o tráfico de droga. Os responsáveis arriscam bastante, no caso de serem detidos, mas o desmantelamento das redes é cada vez mais complexo.

Na semana passada, na região de Calais, quatro albaneses e um francês foram encarcerados sob acusação de tráfico internacional de seres humanos.

Os ministros do Interior, francês e britânico, vão assinar um acordo de cooperação que vai incidir na gestão da crise migratória em Calais.