Última hora

Última hora

PAM aproveita trégua mas "falta tudo no Quénia"

Várias agências da ONU – nomeadamente o Programa de Alimentação Mundial, PAM, e outras organizações humanitárias, iniciaram operações de emergência

Em leitura:

PAM aproveita trégua mas "falta tudo no Quénia"

Tamanho do texto Aa Aa

Várias agências da ONU – nomeadamente o Programa de Alimentação Mundial, PAM, e outras organizações humanitárias, iniciaram operações de emergência de auxílio à população do Iémen, ao abrigo do cessar-fogo humanitário de cinco dias.

Point of view

A população vulnerável não está a receber a assistência alimentar necessária e cada vez vemos mais crianças com desnutrição crónica, por falta de produtos essenciais básicos

Quase sete semanas de bombardeamentos aéreos da coligação árabe contra posições das milícias xiitas provocaram faltas graves de água potável e energia, combustível e material médico, além de fortes perturbações ao comércio, num país que é dependente da importação de alimentos

A FAO, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, por exemplo, queixa-se de só conseguir fazer chegar alimentos a 2,5 milhões de pessoas, numa população total de 24 milhões.

A diretora do PAM sente as mesmas dificuldades:

Ertharin Cousin, diretora executiva do programa Alimentar Mundial:

- Por causa da falta de acesso, a população vulnerável não está a receber a assistência alimentar necessária e cada vez vemos mais crianças com desnutrição crónica, por falta de produtos essenciais básicos. Sem água potável, sem combustível, alimentos, estamos à beira de uma tempestade perfeita para provocar uma ctástrofe.
O que esperamos é que todas as partes no conflito reconheçam que o povo do Iémen, a população afetada não pode esperar por uma solução política. Devemos proporcionar o acesso humanitário que é necessário em todo o país.

A situação é agravada pela falta de combustível, que impede a distribuição dos poucos produtos disponíveis, e os graves danos infligidos ao setor agrícola, com sistemas de irrigação destruídos, escassez de sementes e propagação de doenças entre os animais.

O Iémen importa 90% dos alimentos que consome. Em determinados produtos, como o trigo, 95%” e, com o conflito armado em curso, as importações estão praticamente paradas, por isso a ajuda alimentar mundial é indispensável.

O correspondente da euronews no Cairo, Mohammed Shaikhibrahim, esteve com a diretora do PAM, no Cairo, antes da sua partida para o Iémen

- As vias de acesso de assistência humanitária às pessoas afetadas pela guerra é o principal obstáculo às organizações internacionais, que exigem mais cooperação internacional para o superar.