Última hora

Última hora

Morreu a "primeira-dama" dos Khmer vermelhos do Camboja

Morreu este sábado, aos 83 anos, Ieng Thirith, a viúva do antigo número 3 dos “Khmer Vermelhos”, no Camboja. Ex-ministra dos Assuntos Sociais, por

Em leitura:

Morreu a "primeira-dama" dos Khmer vermelhos do Camboja

Tamanho do texto Aa Aa

Morreu este sábado, aos 83 anos, Ieng Thirith, a viúva do antigo número 3 dos “Khmer Vermelhos”, no Camboja. Ex-ministra dos Assuntos Sociais, por alturas do regime liderado por Pol Pot, no final dos anos 70, Thirith foi acusada de genocídio, crimes de guerra e crimes contra a humanidade pelo Tribunal Internacional de Justiça das Nações Unidas.

Viúva de Ieng Sary, que morreu em março de 2013, a descrita como “primeira-dama” do antigo Partido Comunista da Kampuchea estava implicada nos crimes que, entre 1975 e 1979, terão provocado a morte de cerca de 1.700.000 de pessoas. Thirith e Ieng eram dois dos quatro implicados no processo movido contra a cúpula do regime, iniciado em 2011, e no qual ainda resiste o número 2 dos “Khmer Vermelhos”, Nuno Chea, e o antigo chefe de Estado Khieu Samphan.

A morte de Ieng Thirith foi revelada pelo Tribunal Internacional do Camboja. A antiga ministra estava detida desde 2007, mas morreu na própria residência em Pailin, no noroeste do Camboja, para onde rumou depois de ter sido autorizada a sair da prisão, tendo ficado sob vigilância judicial.