Última hora

Última hora

Mediterrâneo, cada vez mais um cemitério de migrantes

O êxodo de migrantes em direção à Europa não pára de provocar vítimas. Um barco com 400 pessoas naufragou esta quinta-feira ao largo da costa líbia

Em leitura:

Mediterrâneo, cada vez mais um cemitério de migrantes

Tamanho do texto Aa Aa

O êxodo de migrantes em direção à Europa não pára de provocar vítimas.

Um barco com 400 pessoas naufragou esta quinta-feira ao largo da costa líbia.

200 pessoas acabaram por morrer quando a embarcação se virou depois de zarpar da cidade de Zuwara.

Segundo as autoridades locais, os migrantes a bordo vinham da Síria, Paquistão, Marrocos, Bangladeche e África Subsariana.

Na quarta-feira, a marinha sueca foi em missão de socorro a outra embarcação de migrantes que se afundava ao largo da costa italiana.

A operação registou 51 vítimas mortais e o resgate de 400 sobreviventes.
Dez pessoas foram presas por tráfico humano e entregues às autoridades italianas.

Segundo a agência das Nações Unidas para os refugiados, só este ano já morreram mais de 2400 pessoas a tentar atravessar o Mediterrâneo, e mais de 110 mil foram salvas e entregues às autoridades italianas.