Última hora

Última hora

Itália: detenção de passadores de clandestinos

No porto italiano de Messina, foram detidos dois traficantes envolvidos na rede que organizou o transporte de 835 clandestinos que chegaram a Itália

Em leitura:

Itália: detenção de passadores de clandestinos

Tamanho do texto Aa Aa

No porto italiano de Messina, foram detidos dois traficantes envolvidos na rede que organizou o transporte de 835 clandestinos que chegaram a Itália esta quinta-feira.

A maior parte destas pessoas, entre eles muitas mulheres e crianças, vieram da Eritreia. Os passadores são um tunisino e um líbio.

Entretanto, cerca de uma centena de migrantes de várias nacionalidades foram detidos num porto líbio, a 50 km de Tripoli.

Estas pessoas, que se preparavam para fazer uma travessia perigosa do Mediterrâneo, estão detidas para identificação, segundo as autoridades líbias.

O ministro da Justiça líbio lançou um apelo à organização urgente de uma cimeira internacional sobre a crise migratória:

“Apelamos à organização de uma conferência regional no fim do mês de setembro, para resolver esta crise e parar esta tragédia – com a participação de todas as nações de destino, incluindo a União Europeia, e todas as nações de onde partem estes migrantes”, disse Mustafa al-Kulaib.

A instabilidade política na Líbia fez do país uma das principais rotas do tráfico de clandestinos. As redes de passadores trazem sírios através do Egipto e cidadãos de países ad África-subsaariana através do Sudão, Niger e Tchad.

Segundo as organizações humanitárias, os migrantes pagam milhares de dólares pela passagem terrestre e marítima, por vezes agredidos e torturados pelos passadores que lhes exigem mais dinheiro pela etapa final em embarcações precárias.