Última hora

Última hora

Música e dança revelam os segredos da história e cultura de Creta

Em leitura:

Música e dança revelam os segredos da história e cultura de Creta

Tamanho do texto Aa Aa

A ilha de Creta voltou este ano a celebrar as tradições locais. Pela terceira vez, a região promoveu o Festival Pancretense de Dança e Cantata, uma

A ilha de Creta voltou este ano a celebrar as tradições locais. Pela terceira vez, a região promoveu o Festival Pancretense de Dança e Cantata, uma mostra de folclore local que começou na cidade de Anogia, mas que pela primeira vez teve Heraklion como palco.

Decorrendo ao longo de um dia (6 de setembro), o festival arrancou com uma serenata pelas ruas da cidade. A secretária da organização cultural de Anogia, Eleni Fasoula, explica que “antigamente, um jovem apaixonado por uma rapariga ia a casa dela acompanhado por amigos e levavam bandolins e laoutos”. “Junto à varanda, cantavam mantinadas com o objetivo de seduzir a rapariga”, acrescenta a responsável.

Uma das artistas participantes deste ano contou que o percurso fez-se pelas ruas de Heraklion até ao Estádio Nacional da Liberdade. “Levámos instrumentos e cantámos mantinadas, enquanto caminhávamos e batíamos palmas”, recorda Anna Maria Stavrakaki.

Muitas outras pessoas se juntaram aos músicos a cantar as matinadas, uma forma de declamação, em narrativa ou diálogo, acompanhada por música. É tradicional em várias partes da Grécia, sobretudo na ilha de Creta, onde as mantinadas são entoadas com acompanhamento de liras e laoutos cretenses.

“Existem diferentes tipos de mantinadas. Umas falam de alegria, outras de tristeza. Celebra-se o amor e a vida. Podemos falar de tudo, mas as mantinadas falam sobretudo de amor”, explica Giannis Vitoros Kennedys, um especialista nesta forma de canto tradicional helénico.

Creta é a maior ilha da Grécia. Nela, podemos encontrar os vestígios de civilizações antigas, descobrir praias de beleza ímpar e, não muito longe, admirar cenários de montanha impressionantes.

Milhões de turistas visitam a ilha todos os anos. Apesar da recente turbulência económica na Grécia, o fluxo de turistas manteve-se estável em Creta. Os visitantes não foram afetados e a Grécia espera inclusive conseguir bater um novo recorde no turismo.

Em Creta, a aposta turística passa por promover as tradições e a cultura da ilha. “Cultura e turismo são inseparáveis em Creta. A ilha tem um indiscutível passado de grande riqueza cultural. O nosso objectivo é promover a história, atrair ainda mais turistas e mostrar que Creta é mais do que sol e praias bonitas”, afirma Michalis Vamiedakis, o comissário de Turismo da região de Creta.

Muitos turistas tiveram oportunidade, este ano, de assistir ao festival Pancretense de Dança e Cantata. Uma visitante britânica salientou a “grande festa” em que participou. “Toda a gente está satisfeita. Aqui testemunhámos que todas as pessoas podem viver, dançar e ser felizes juntas. É assim que a vida deve ser”, concretizou.

Um turista belga sublinhou que “o que interessa, sobretudo, é a mentalidade das gentes de Creta”: “São pessoas de espírito muito aberto, calorosas e muito simpáticas.”

Na edição deste ano do festival, cujo tema foi “Creta celebra os seus imigrantes”, participaram 35 grupos de dança e cerca de 700 dançarinos oriundos de toda ilha. Cada dança representa uma zona específica de Creta, mas em todas se sublinha a personalidade rebelde e heroica dos cretenses.

Nikos Vretzos, o responsável pelo festival, assume que o “o objetivo é mostrar a diversidade e o esplendor da tradição de Creta na música e na dança”. “Os cretenses são ‘kouzouli’, isto é, são loucos. Foi isso que pudemos ver na mostra que organizámos este ano”, destacou.

Vassilis Stavrakakis toca bandolim e canta; Nikos Gonianakis toca lira cretense e também canta. São dois músicos famosos na ilha e, este ano, também participaram no festival.

“A música de Creta está em destaque neste momento. Todas as pessoas gostam muito desta música. Não são apenas os cretenses, também os gregos, em geral, e muitos estrangeiros gostam”, garante Stavrakakis.

Gonianakis garante que “a música cretense não tem fronteiras”: “Não me quero gabar, porque sou de Creta, mas há algo de diferente. Todas as músicas do mundo são muito boas, mas a nossa é a melhor.”

O enviado especial da euronews Heraklion, na Grécia, lembra que “Creta não é famosa apenas pela sua história, as praias bonitas e as maravilhosas paisagens, mas também pela grande tradição na música e na dança”. “O Festival Pancretense de Dança e Cantata é o encontro anual de cretenses oriundos de todos os cantos do Mundo. Permite-nos aprender mais sobre a ilha e conhecer a verdadeira Creta”, conclui Yorgos Mitropoulos.