Última hora

Última hora

China anuncia abertura das empresas estatais ao capital privado

Lusa — A China vai promover a propriedade mista e a entrada de capital privado nas empresas estatais, anunciaram esta segunda-feira as autoridades

Em leitura:

China anuncia abertura das empresas estatais ao capital privado

Tamanho do texto Aa Aa

Lusa — A China vai promover a propriedade mista e a entrada de capital privado nas empresas estatais, anunciaram esta segunda-feira as autoridades, numa altura em que a segunda maior economia do mundo estuda um novo modelo de crescimento.

“Queremos criar condições para que as empresas estatais participem no mercado como entidades independentes e em igualdade de condições”, disse Zhang Xiwu, vice-presidente da Comissão Para a Supervisão de Ativos do Estado, numa conferência em Pequim.

Elaborado pelo Comité Central do Partido Comunista chinês e pelo Conselho de Estado, o plano de reforma visa que os grupos estatais sejam “independentes e responsáveis pelos ganhos, perdas e riscos”.

No conjunto, o pacote de medidas vai afetar 150.000 empresas, que detêm um total de 100 mil milhões de yuan (13.81 mil milhões de euros) em ativos e empregam cerca de 30 milhões de pessoas. A reforma inclui um sistema de salários “flexível”, com base no mercado e em resultados.

Os grupos estatais detêm um papel central no modelo económico assente no investimento, que tem assegurado o crescimento da China num período de estagnação global, mas que é agora denominado pela liderança do país como “insustentável”.

A rentabilidade dos ativos, – indicador que mede a capacidade da empresa em gerar resultados – no setor estatal chinês, é inferior ao custo do capital, enquanto o setor privado criou quase todos os empregos urbanos na China na última década, concluiu um estudo do The Economist.

“Vai ser uma transição dolorosa e um processo sinuoso”, avisou o presidente chinês, Li Keqiang, na última semana, sobre a remodelação da economia.

No primeiro semestre de 2015, o Produto Interno Bruto chinês subiu 7 por cento, face a 2014 — o valor mais baixo desde 2009 —, exatamente dentro da meta fixada pelo Governo.

Em 2012, duas empresas estatais diretamente tuteladas pelo governo central chinês compraram posições em Portugal: a China Three Gorges pagou 2,7 mil milhões de euros por 21,35 por cento do capital da EDP; enquanto a State Grid adquiriu 25 por cento do capital da REN por 287 milhões de euros.

Este ano, uma subsidiária da Haitong Securities, empresa financeira estatal com sede em Xangai, concluiu a compra da totalidade do capital do Banco Espírito Santo de Investimento (BESI), ao Novo Banco, por 379 milhões de euros.