Última hora

Última hora

O longo caminho de Lama que fugiu da Síria há mais de um ano

Na pequena localidade croata de Tovarnik, junto à Sérvia, vivem perto de três mil habitantes. Um número multiplicado pelos milhares de refugiados que

Em leitura:

O longo caminho de Lama que fugiu da Síria há mais de um ano

Tamanho do texto Aa Aa

Na pequena localidade croata de Tovarnik, junto à Sérvia, vivem perto de três mil habitantes. Um número multiplicado pelos milhares de refugiados que se concentram, essencialmente, junto à estação ferroviária, onde pretendem apanhar um comboio que os leve para a Áustria ou para a Alemanha. Lama é um deles.

Fugiu de Lataquia, na Síria, há mais de um ano. Conta-nos que partiu porque o marido abandonou o país para evitar ser chamado pelo exército. Depois foram para o Líbano. A seguir, Turquia. Agora, a Croácia. Antes chegaram à Grécia num barco. Estiveram “cara a cara perante a morte”, mas sabiam que tinham de deixar a Turquia.

Em Tovarnik, já houve confrontos com a polícia, mas a situação acalmou. Daqui os refugiados ou são levados para centros de acolhimento ou aguardam por uma oportunidade.

Lama explica que não tem telefone, nem um carregador, nem acesso à internet. Sublinha que não tem absolutamente nada. Os seus pais ficaram para trás e nada sabem da família. Uma coisa que a assusta são as doenças, uma vez que as condições em que tem vivido são deploráveis. O único caminho é seguir caminho.

Desde que a Hungria encerrou as fronteiras, mais de dez mil migrantes entraram na Croácia. O governo croata alerta que o país já não tem capacidade para receber mais ninguém.