Última hora

Última hora

Liga Portuguesa, J5: Sporting iguala FC Porto e Benfica fica a 4 pontos

André André foi a estrela no Dragão e valeu o primeiro triunfo de Lopetegui sobre as "águias", no primeiro duelo sem Jesus de... "encarnado". Em Alvalade, Montero foi o trunfo dos "leões" diante do Nacional, numa ronda em que Académica e Guimarães ficaram sem treinadores

Em leitura:

Liga Portuguesa, J5: Sporting iguala FC Porto e Benfica fica a 4 pontos

Tamanho do texto Aa Aa

André André foi a estrela no Dragão e valeu o primeiro triunfo de Lopetegui sobre as "águias", no primeiro duelo sem Jesus de... "encarnado". Em Alvalade, Montero foi o trunfo dos "leões" diante do Nacional, numa ronda em que Académica e Guimarães ficaram sem treinadores.

O FC Porto venceu em casa o Benfica e cimentou a liderança do campeonato, ao lado do Sporting, mas com vantagem nos golos. As “àguias” repetiram no Dragão a tática de contenção e contra-ataque da época passada, ficaram perto do golo em bolas paradas logo a abrir, mas desta vez não tiveram sorte e acabaram por sofrer a segunda derrota da época, alargando para 4 pontos a distância para o primeiro lugar.

No relvado estiveram os dois melhores marcadores do campeonato, Jonas (5) e Aboubakar (4), mas foi um estreante a fazer a festa do golo: André André assinou o primeiro golo de dragão peito.

Julen Lopetegui preencheu o meio-campo com Rúben Neves, Imbula e André André. Rui Vitória respondeu com a surpresa André Almeida junto de Samaris. As estratégias retiraram espaço ao jogo e, sem surpresa, as primeiras ocasiões do jogo surgiram de bolas parada. Ambas a obrigar Casillas a aplicar-se.

Momentos de tensão

Aos 34 minutos, Maxi Pereira ganha um lance na raça, mas comete falta -- bola presa. Já com o jogo parado, Jonas surge de rompante junto do ex-colega, que reage mal. Só Maxi viu amarelo e gerou-se um momento de tensão.

Sobre o apito para o intervalo, já com o jogo parado e após entrada muito perigosa de Maicon junto à cabeça de Jonas, novo momento de tensão entre as equipas, desta feita, porém, sem que o árbitro mostrasse cartões.


Aos 8 minutos, após canto da direita, Mitroglou cabeceou ao segundo ao poste e o espanhol defendeu bem. Quatro minutos depois, em novo canto, mas da esquerda, Foi Luisão a cabecear e de novo Casillas a resolver. As “águias” surpreendiam os “dragões.”

FC Porto tenta assumir o controlo, procura trocar a bola e ganhar confiança em progressão, revelando melhor coordenação, mas o Benfica fechava bem e espreitava o contra-ataque rápido com 4 unidades. O jogo, no entanto, evoluiu “mastigado” entre as duas áreas, sem oportunidades criadas em futebol corrido.

O intervalo chegou pouco depois de um ataque esforçado dos “dragões”, cortado por fora de jogo de Marcano mal assinalado pelo árbitro. O apito para o descanso acontece sobre uma entrada agressiva de Maicon junto de Jonas, o que gerou novo momento de tensão entre ambas as equipas rivais.

A segunda parte arrancou com Aboubakar a cabecear ao poste da baliza do Benfica após grande cruzamento de André André. Benfica não abanou, manteve coesão e o FC Porto a dificuldade em “furar” no último terço.


Aos 59 minutos, André André voltou a lançar Aboubakar, o camaronês ganhou na força a Jardel, mas permitiu a intervenção de Julio Cécar. O africano insistiu e, já em esforço, atirou ao lado.

Lopetegui queria mais e trocou o apagado Corona por Varela. O jogo manteve o empenho de ambas as equipas, ganhou até dinâmica, mas nem por isso qualidade. Aos 72 minutos Gonçalo Guedes obrigou Casillas a defender e pouco depois cruzou para um cabeceamento por cima de Mitroglou.

Rui Vitória trocou Jonas por Talisca, Lopetegui respondeu com Danilo no lugar de Rúben Neves. Para os últimos 10 minutos, o treinador do FC Porto trocou Aboubakar por Osvaldo e ouviu assobios. O do Benfica trocou Guedes por Pizzi.


Aos 86 minutos, a jogada do jogo. Brahimi lança diagonal de Varela, o “Drogba” da Caparica deixou com classe para a entrada de André André, que, diante de Júlio César, atirou a contar. Festa nas bancadas, em tons de azul e branco.

As “águias” sentiram o golo, Jiménez ainda entrou para o lugar de SAmaris, mas a equipa de Rui Vitória não conseguiu reagir. O FC Porto ficou, aliás, mais perto de dilatar a vantagem do que de sofrer o empate. O triunfo solidifica a liderança dos “dragões”, isolado à condição, com o Sporting a jogar apenas esta segunda-feira.

Ficha de jogo

Estádio do Dragão (49.209 espetadores)

Árbitro: Artur Soares Dias (Porto).

FC Porto: Casillas; Maxi Pereira (A), Maicon (A), Marcano e Layún; Imbula e Rúben Neves (A, Danilo, 78’); Corona (Varela, 63’), André André (A) e Brahimi; Aboubakar (Osvaldo, 82’).

Treinador: Julen Lopetegui.

Benfica: Júlio César; Nelson Semedo (A), Luisão (A), Jardel e Eliseu; Samaris (Jiménez, 88’) e André Almeida (A); Gonçalo Guedes (Pizzi, 82’) e Gaitán; Jonas (Talisca, 77’)e Mitroglou (A).

Treinador: Rui Vitória.

Golos: André André (86’).

Sporting sua para se manter ao lado do FC Porto

Com Carrillo uma vez mais nos camarotes (segundo jogo consecutivo fora da convocatória por opção… técnica?), o Sporting reuniu João Mário a Adrien no miolo. Na freente, Jesus insistiu na junção de Teo a Slimani , mas na segunda parte decidiu emendar a mão e colocar Montero ao lado do argelino e o colombiano marcou pelo segundo jogo consecutivo.


O Nacional surgiu com Rui Silva na baliza, por lesão de Gottardi, e Nuno Campos a estrear-se na Liga, no lugar de Bonilha. Mas logo aos 2 minutos, os insulares podem agradecer o árbitro não ter assinalado o derrube de Zainadine a Ruiz dentro da área.

Os “leões” entraram fortes, com João Mário a assumir o jogo e Gelson a dar dinâmica à direita. Aos 12 minutos, Slimani isolou o jovem extremo, que recebeu mal e caiu sozinho. Pouco depois, recebeu melhor, mas rematou ao lado.

Os madeirenses apostavam numa defesa preenchida e rápidas saídas no contra-ataque. Sobre a meia-hora, porém, em 5 minutos, Sequeira viu dois amarelos e deixou o Nacional a jogar com 10. A decisão do árbitro pareceu exagerada em ambos os cartões.

Liga NOS: Nacional perde em Alvalade No jogo que encerrou a jornada 5 da Liga NOS, o Nacional foi esta noite derrotado em Alvalade pelo Sporting, por 1-0.

Posted by <a

href=“https://www.facebook.com/ClubeDesportivoNacional”>Clube Desportivo Nacional [www.cdnacional.pt] on Segunda-feira, 21 de Setembro de 2015

Os “leões” carregaram e um cabeceamento de Slimani foi cortado à queima com o braço por Zainadine, mas era pouco. Teo continua a ser um elemento estranho à equipa. Ruiz, embora com alguns bons pormenores, revelava dificuldade para desequilibrar e o jogo foi a “zeros” para o intervalo, com o derradeiro remate a ser um livre de Agra para defesa de Patrício.

Montero ao lado de Slimani

Insatisfeito com o rendimento ofensivo dos "leões", Jorge Jesus decidiu-se pelo que, estranhamente, ainda não havia tentado esta época: juntar Fredy Montero e Slimani no "11". a diferença foi notória e ainda mais quando lhes juntou Mané. A sintonia entre o camisola "10" e o "9" foi enorme, mas foi com o "36" que o colombiano triangulou para assinar, aos 86 minutos, o golo do triunfo.

A segunda parte é retomada com o Sporting, de novo, a entrar forte, mas mantendo a ineficácia atacante. Jesus trocou de colombianos, juntando finalmente Fredy Montero e a Slimani. A melhoria foi imediata, tal a melhor sintonia entre estes avançados.

Aos 56 minutos, um dos bons cruzamentos de Jefferson na partida é desperdiçado por Slimani e Gelson. Aos 58, de novo Slimani, a cruzamento esforçado de Ruiz, desta vez a acertar, mas para as mãos de Rui Silva.

Mané substituiu Ruiz. Manuel Machado respondeu com Bonilha e Willyan e fechou ainda mais a equipa. Os “leões” voltaram a espreitar o golo, num cruzamento largo de Mané, da esquerda, e Gelson, em esforço, a permitir grande defesa a Rui Silva.

Jesus refrescou o miolo, trocando João Mário por André Martins. Aos 78 minutos, Slimani cria espaço, remata, mas fraco para defesa fácil do guarda-redes insular. Aos 82, foi Montero a disparar um míssil” cruzado, ao lado.

Um minuto volvido, Slimani assiste e o colombiano remata enrolado. Aos 84, Montero assiste Adrien para novo remate à figura de Rui Silva. Só dava Sporting, mas sem golos. Até que, aos 86 minutos, Montero iniciou e finalizou em grande uma combinação com Mané.

Com menos um, o Nacional esboçou uma reação, meteu velocidade no jogo e os “leões” enervaram-se, mas resistiram e foi com um remate de Mané para nova defesa de Rui Silva que o apito final chegou. O Sporting venceu, iguala o FC Porto na liderança e deixa o Benfica a quatro pontos.

Ficha de jogo

Estádio José Alvalade, Lisboa (30.000 espetadores)

Árbitro: Fábio Veríssimo (Leiria).

Sporting: Rui Patrício; Ricardo Esgaio, Paulo Oliveira (A), Naldo; Adrien; Gelson, João Mário e Bryan Ruiz (Mané, 65’); Teo Gutierrez (Montero, 54’) e Slimani (A).

Treinador: Jorge Jesus.

Nacional: Rui Silva (A); Nuno Campos, Zainadine, Rui Correia e Sequeira (AAV); João Aurélio (A), Ali Ghazal (A) e Washington; Luís Aurélio (Bonilha, 66’, A), Tiquinho Soares (Gustavo, 85’, A) e Salvador Agra (Willyan, 66’).

Treinador: Manuel Machado.

Golos: Montero (86’).

Braga goleia e Académica afunda-se

A jornada abriu sexta-feira à noite, com a receção do Vitória de Setúbal ao homónimo de Guimarães. Segundo melhor ataque do campeonato, os sadinos vinham de duas jornadas sem ganhar e voltaram a empatar em casa a dois golos. Logo aos 2 minutos sofreram um penálti e ficaram reduzidos a 10 jogadores, por expulsão de Pacheco. Reagiram, deram a volta ao marcador, mas um autogolo de Rúben Semedo

confirmou a partilha de pontos.

No sábado, o Tondela recebeu o Estoril e sofreu a quarta derrota nesta época de estreia na primeira Liga. Um golo de Léo Bonatini, o terceiro no campeonato, decidiu o destino dos 3 pontos. Pouco depois, em Paços de Ferreira, um “hat trick” do caboverdiano Heldon valeu ao Rio Ave um triunfo claro sobre os “castores.”


Melhores marcadores:

5 golos: Jonas (Benfica);
4 golos: Aboubakar (FC Porto), Hyun-jun Suk (Vitória de Setúbal) e Dyego Sousa (Marítimo);
3 golos: Mitroglou (Benfica), Léo Bonatini (Estoril), Francisco Soares (Nacional) e André Claro (V. Setúbal);
2 golos: Maurides (Arouca), Miguel rosa (Belenenses) Corona (FC Porto), Ghazaryan (Marítimo), Luisinho (Boavista) Vukcevic, Alan e Stojilkovic (Sp. Braga), Héldon e Yazalde (Rio Ave), Adrien e Slimani (Sporting), Arnold e Costinha (V. Setúbal).



Já no domingo, o Boavista visitou Coimbra e abriu o marcador logo no primeiro minuto e fechou-o à beira do fim do jogo. A Académica é a única equipa sem pontuar no campeonato. Na Ribeira Brava, União da Madeira e Arouca não foram além do nulo. Depois de um arranque surpeendente, a equipa de Lito Vidigal está em queda e há 3 jogos que não ganha.

A abrir o derradeiro dia desta quinta jornada, o Belenenses recebeu o Moreirense — duas equipas que ainda não tinham vencido. Quqtro dias após se estrear na Liga Europa com um empate na Polónia, a equipa de Sá Pinto foi, finalmente, feliz no campeonato nacional. Luís Leal e Miguel Rosa, ainda na primeira parte, selaram o triunfo dos “azuis” e a quarta derrota dos “cónegos” na Liga.

Pouco depois, no Minho, o Sporting de Braga recebeu o Marítimo e revelou um novo goleador: o sérvio Nikola Stojiljkovic, de 23 anos. O ex-avançado do Cukaricki abriu o marcador aos 8 minutos, bisou aos 34, assistiu para o 3-1 aos 59 e sofreu penálti (falhado por Rui Fonte) aos 65.

Já com os madeirenses reduzidos a 9 jogadores, o Braga dispôs ainda de outra grande penalidade, desta vez

com Alan a não desperdiçar. Sobre os 90, Rui Fonte redimiu-se do penálti falhado e fechou o marcador nos 5-1, a goleada de uma jornada, que fica ainda marcada pelas chicotadas psicológicas na Académica e no Guimarães.

Jornada 05:

V. Setúbal – V. Guimarães, 2-2

Tondela – Estoril, 0-1

P. Ferreira – Rio Ave, 0-3

Académica – Boavista, 0-2

U. Madeira – Arouca, 0-0

FC Porto – Benfica, 1-0

Belenenses – Moreirense, 2-0

Sp. Braga – Marítimo, 5-1

Sporting – Nacional, 1-0

Jornada 06:

Moreirense — FC Porto (sexta-feira)

Benfica — P. Ferreira (sábado)

Boavista — Sporting

Marítimo — Tondela (domingo)

Nacional — V. Setúbal

Arouca — Belenenses

Estoril — U. Madeira

V. Guimarães — SP. Braga

Rio Ave — Académica (segunda-feira)