Última hora

Última hora

Os segredos de fabrico da multipremiada curta-metragem "The Bigger Picture"

Em leitura:

Os segredos de fabrico da multipremiada curta-metragem "The Bigger Picture"

Tamanho do texto Aa Aa

A curta-metragem “The Bigger Picture” tem arrecadado prémios e aplausos em vários festivais. A obra de sete minutos conta uma história emocionante e

A curta-metragem “The Bigger Picture” tem arrecadado prémios e aplausos em vários festivais. A obra de sete minutos conta uma história emocionante e recorre a uma técnica de animação original. O filme gira em torno de uma mulher idosa que recusa viver num lar.

A realizadora britânica Daisy Jacobs contou à euronews os segredos de fabrico da obra.

Daisy Jacobs: “Criei um universo surreal e divertido mas o tema do filme é bastante sério. Não é pura fantasia. Por exemplo, um jarro não se move sozinho mas eu posso mostrar o líquido a ser vertido para sugerir a ira e a frustação da personagem. O líquido espelha os sentimentos”.

Daisy Jacobs: “Do ponto de vista técnico, eu queria criar uma personagem 2D, pintada que pudesse aspirar a sala. Sempre fiz desenhos de grandes dimensões e pensei que podia animar desenhos enormes.”

Daisy Jacobs: “Depois quis ir mais longe e quis introduzir uma dimensão espacial para que as personagens intaragissem com as coisas para que pudessemos ver a dimensão dos objetos. Foi nessa altura que introduzi elementos a três dimensões”.

Daisy Jacobs: “A parte mais complexa foi a cozinha porque pela primeira vez tínhamos duas personagens a interagir com elementos 3D, havia ainda o papel maché, o mundo real e o mundo ficcional e foi aí que comecei a trabalhar seriamente com o Chris.

Chris Hees: “Construi acessórios e fui responsável pela animação stop motion. Construí vários braços para fazer as partes animadas ao longo do filme”.

Chris Hees: “Decidimos usar uma técnica em que objetos são puxados para a parede pelas personagens a duas dimensões. Tivemos de criar novos objetos 3D porque em muito casos os objetos eram demasiado pesados, como os utensílios em louça ou em inox e não podíamos atá-los à parede de modo a poder filmá-los. Os objetos tinham de ser leves e ocos. Recriámos tudo com papel maché”.

Daisy Jacobs: “O maior desafio que enfrentei foi convencer as pessoas de que a minha técnica funcionaria, não se tratava de um desenho ou de stop motion ou da mistura das duas coisas. Queria um cenário em tamanho real, personagens de grandes dimensões. Queria ser eu própria a pintar o cenário e a fazer os objetos. Na altura pensei que seria fazer dois filmes nesse período mas afinal não foi possível”.

“The Bigger Picture” venceu o prémio Cartoon D’or que distingue a melhor curta-metragem europeia. A cerimónia de entrega do galardão decorreu em Toulouse. Além do troféu, a realizadora britânica Daisy Jacobs levou para casa dez mil euros.