Última hora

Última hora

Projeto europeu desenvolve formas de reduzir o ruído das turbinas eólicas

Em leitura:

Projeto europeu desenvolve formas de reduzir o ruído das turbinas eólicas

Tamanho do texto Aa Aa

A redução do ruído provocado pelas turbinas eólicas é um dos grandes objetivos do projeto europeu Windtrust. Para poder instalar mais parques eólicos

A redução do ruído provocado pelas turbinas eólicas é um dos grandes objetivos do projeto europeu Windtrust.

Point of view

Concebemos uma série de dentes serrados. Graças a este tipo de design, o vento bate nos dentes da pá, o que diminui o impacto do ruído.

Para poder instalar mais parques eólicos na Europa, sobretudo em zonas urbanas, é necessário garantir que os limites de ruído estabelecidos por lei são respeitados.

A solução desenvolvida no âmbito do projeto europeu passa pela instalação de uma série de ranhuras nas pás das turbinas.

A fase de testes decorre na cidade espanhola de Burgos.

“Concebemos uma série de dentes serrados. Graças a este tipo de design, o vento bate nos dentes da pá o que diminui o impacto do ruído. Estamos a realizar testes numa turbina de 78 metros de altura e numa hélice com 90 metros de diâmetro”, explicou Fernando Garcia Ayerra, coordenador técnico do projeto.

A qualidade das pás é outro dos fatores essenciais para tornar a energia eólica mais eficiente. O projeto Windtrust desenvolveu pás em fibra de carbono, um material com propriedades mecânicas semelhantes às do aço mas que é leve como o plástico. O uso de fibra de carbono permite melhorar o ciclo de vida dos parques eólicos e reduzir os custos de manutenção.

Numa fábrica em Coslada, perto de Madrid, os técnicos testam forma de reduzir o número de avarias.

“Esta máquina encontra-se no interior da turbina, pode haver quatro máquinas no interior de cada turbina. Elas permitem que a energia do vento seja convertida em eletricidade. Além disso, construímos uma nova geração de semicondutores que nos permitem reduzir o número de elementos ativos e o número de avarias. Reduzimos o tempo de reparação em 70 por cento e podemos trabalhar em ambientes poluídos e húmidos, como nas plataformas em alto mar. Incorporámos um algoritmo que permite antever o problema antes da ocorrência da avaria”, explicou Andrés Agudo Araque, da empresa Gamesa Eletric.

Outro dos grandes desafios é encontrar formas de gerir a interrupção da produção de energia, em caso de intempérie.

“Na Europa, queremos ter energia limpa fiável e barata. Por isso temos de continuar a trabalhar a questão da fiabilidade, dos geradores e dos componentes mais importantes. Enquanto parceiros do projeto Windtrust lançámos uma revisão profunda do design de determinados componentes e podemos dizer que estamos perante uma nova geração de componentes que vai permitir melhorar a fiabilidade das máquinas em terra e no mar”, afirmou Mauro Villanueva, coordenador do projeto Windtrust.

Graças à melhoria dos equipamentos destinados à produção de energia eólica, o projeto Windtrust espera contribuir para a redução do preço da energia e para diminuição da poluição associada ao uso dos combustíveis fósseis.