Última hora

Última hora

NATO acredita que "invasão" russa na Turquia não foi acidente

A NATO reforçou esta terça-feira o sério aviso já endereçado de véspera à Rússia pela violação do espaço aéreo turco no decorrer das operações

Em leitura:

NATO acredita que "invasão" russa na Turquia não foi acidente

Tamanho do texto Aa Aa

A NATO reforçou esta terça-feira o sério aviso já endereçado de véspera à Rússia pela violação do espaço aéreo turco no decorrer das operações militares. À luz de informações recolhidas face a uma segunda infração, a Aliança do Atlântico Norte não acredita no alegado erro russo de navegação.

“Para nós, isto não parece ter sido um acidente. Esta foi uma séria violação de espaço aéreo. Aliás, houve duas violações durante o fim de semana, o que só contribui para que não pareça ter-se tratado de um acidente. Esta violação demorou muito tempo quando comparada com outras violações de espaço aéreo registadas noutros locais na Europa. Por isso, levamos isto muito a sério”, afirmou o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, no lançamento da reunião de quinta-feira dos ministros da Defesa da Aliança.

Jens Stoltenberg reforçou, desta forma, o aviso que já havia feito segunda-feira à Rússia pela “invasão” registada sábado por um bombardeiro russo, intercetado por caças F-16 turcos e escoltado para fora da Turquia. O responsável sublinhou ainda a “forte solidariedade” dos “aliados” para com a Turquia e reforçou que todos “condenam a violação russa do espaço aéreo da NATO”.

(“Primeiro-ministro turco avisa que vai aplicar regras de interceção se o espaço aéreo voltar a ser violado”)

No sábado, a Turquia intercetou um bombardeiro russo SU-30 e Moscovo admitiu o erro. No domingo, um caça Mig-29 terá provocado e fixado as armas em dois F-16 turcos por mais de 5 minutos. A responsabilidade deste último incidente foi negado pelo Kremlin, sublinhando que a força aérea russa presente na base aérea de Heymim, de onde são lançados os raides, não inclui qualquer Mig-29, garantiu Igor Konashenkov, o porta-voz do ministro da Defesa russo.

Ao final do dia de segunda-feira, o primeiro-ministro turco liderou uma reunião de segurança em Ancara. Ahmet Davutoglu admite agir se houver nova intrusão aérea na Turquia.

De visita a Bruxelas, o Presidente Recep Tayyp Erdogan sublinhou “as boas relações com a Rússia”, mas admitiu cortar esses laços se chegar a esse ponto. O chefe de Estado turco garantiu que “se o fizer a Rússia perde muito.”