Última hora

Última hora

Sexta-feira sangrenta em universidades dos EUA com mais um morto no Texas

Depois do tiroteio registado às primeiras horas da madrugada no Arizona, um segundo incidente com armas de fogo foi registado a meio da manhã junto

Em leitura:

Sexta-feira sangrenta em universidades dos EUA com mais um morto no Texas

Tamanho do texto Aa Aa

Depois do tiroteio registado às primeiras horas da madrugada no Arizona, um segundo incidente com armas de fogo foi registado a meio da manhã junto de uma universidade do Texas. Uma pessoa morreu e outra ficou ferida neste segundo caso que manchou de sangue esta sexta-feira nos Estados Unidos.

O último caso — o 47.° numa escola norte-americana este ano — aconteceu junto de um complexo de apartamentos no “campus” da “Texas Southern University”. Eram 11h30 da manhã (17h30, em Lisboa), avançou a polícia, relatando que já havia relatos de um outro tiroteio na mesma zona, na noite de quinta-feira, mas sem notícia de vítimas.

Depois da troca de tiros, três suspeitos fugiram para dentro de um edifício nas redondezas. Dois foram capturados e estão detidos. Um terceiro continua a monte.

As duas vítimas deste tiroteio no Texas foram levadas para o hospital. Uma, um caloiro da universidade, estava em situação crítica e não sobreviveu. A outra vítima foi atingida no dorso e nas costas, sobreviveu e estará em situação estável. A Universidade do Sul do Texas cancelou as aulas durante todo o dia.

Na cidade de Flagstaff, no Arizona, pelas 01h20 da madrugada (09h20, em Lisboa) registou-se o primeiro tiroteio desta sexta-feira sangrenta em universidades dos Estados Unidos. O caso terá acontecido após uma festa na residência de estudantes da “Northern Arizona University”. Uma pessoa morreu e três ficaram feridas.

Testemunhas contaram ao jornal “Arizona Daily Sun” que, após saírem da festa, quando se preparavam para voltar para casa, “um ‘gajo’ aproximou-se com uma pistola e começou a disparar”. “Ouvi 5 ou 6 tiros e depois os meus amigos neutralizaram-no. Foi muito rápido”, acrescentou a testemunha sob anonimato.

A Universidade do Norte do Arizona não suspendeu as aulas, mas disponibilizou apoio psicológico para os alunos que o necessitassem.

O suspeito dos disparos foi detido, tem 18 anos e é caloiro na universidade. Foi acusado de homicídio de primeiro grau e de três assaltos agravados. “Este é um caso muito diferente do que ocorreu em Oregon”, defendeu fonte policial, referindo-se ao ataque de há uma semana, que fez 10 mortos numa universidade de Roseburg.

Estes dois acontecem, curiosamente, no mesmo dia em que Barack Obama se desloca a Oregon para visitar familiares das vítimas do tiroteio de há uma semana

(“O tiroteio no Arizona era o 46.° numa escola dos Estados Unidos este ano”)