Última hora

Em leitura:

Turquia: Diretor de jornal é detido por alegados "insultos" ao Presidente Erdoğan


Turquia

Turquia: Diretor de jornal é detido por alegados "insultos" ao Presidente Erdoğan

O diretor do jornal turco “Today’s Zaman” foi detido esta sexta-feira por ordem de um juiz do 5.° tribunal Penal da Paz, de Istambul. Bülent Keneş é acusado de ter “insultado” o Presidente Recep Tayyp Erdoğan através da conta pessoal na rede social Twitter.

A queixa contra o jornalista foi apresentada pelo procurador Umut Tepe, mas numa primeira instância foi recusada pelo 4.° Tribunal Penal da Paz, de Istambul. Esta sexta-feira, um juiz do 5.° Tribunal Penal da Paz, um tipo de instituição jurídica criada há dois anos pelo executivo do então primeiro-ministro Erdoğan.

Numa audiência perante o procurado, na quinta-feira, Bülent Keneş negou ter insultado o Presidente. O jornalista alegou ter apenas exercido o direito à liberdade de expressão e ter proferido uma opinião crítica através daquela rede social.

Ao início da noite, quando a polícia chegava à redação do “Today’s Zaman”, Keneş mostrou aos colegas a primeira página da edição deste sábado do jornal. “Sinto vergonha de publicar a minha própria história neste jornal”, afirmou.

A União de Jornalistas Turcos (TGC, na sigla original) reagiu à detenção de Keneş resulta da presão que tem vindo a ser colocada a cada dia sobre os meios de comunicação no país. “Esperamos que estas movimentações contra a democracia turca tenham um fim”, lê-se no comunicado da TGC.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte

mundo

Intifada ameaça voltar à Cisjordânia