Última hora

Última hora

Turquia: Explosões provocam 86 mortos durante marcha pró-curda em Ancara

Pelo menos 86 pessoas morreram e mais de 180 ficaram feridas, esta manhã, em Ancara, depois de duas explosões terem atingido uma manifestação

Em leitura:

Turquia: Explosões provocam 86 mortos durante marcha pró-curda em Ancara

Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos 86 pessoas morreram e mais de 180 ficaram feridas, esta manhã, em Ancara, depois de duas explosões terem atingido uma manifestação pró-curda na capital turca.

O novo saldo de vítimas foi confirmado, ao início da tarde, pelo ministério da Saúde turco, segundo o qual, cerca de 28 pessoas encontram-se hospitalizadas em estado grave.

As deflagrações, que poderiam tratar-se de um atentado suicida cometido por dois bombistas, segundo fontes do governo, visaram uma marcha em defesa da paz no conflito que opõe Ancara aos separatistas curdos do PKK.

Poucas horas após o ataque, o grupo armado anunciou uma trégua até às eleições legislativas, confirmando os anúncios feitos por vários responsáveis do movimento, na sexta-feira.

Um vídeo divulgado nas redes sociais, mostra o momento da explosão, ao início da marcha, junto à estação de comboios de Ancara.

Uma das testemunhas do ataque afirma, “a primeira bomba explodiu por detrás das bandeirolas, nós deitámo-nos no chão e sentimos a segunda deflagração. A primeira explosão foi a mais intensa”.

Outra testemunha afirma, “éramos cerca de 150 pessoas quando ocorreu a primeira explosão e toda a gente começou a correr e um minuto depois, vimos a segunda explosão. Vi braços e pernas a voarem. Eu consegui escapar mas dois amigos morreram mesmo ao meu lado”.

O governo turco convocou uma reunião de emergência para analisar a situação, quando as equipas de resgate se encontram no terreno.

As deflagrações ocorrem depois de duas pessoas terem morrido durante um ataque que tinha visado uma marcha curda em Diarbakir, em Junho.

O partido pró-curdo HDP, que tinha convocado a marcha de Ancara, cancelou esta manhã todos os comícios de campanha da formação, a semanas das eleições legislativas de 1 de novembro.