Última hora

Última hora

Hossein Amir-Abdollahian: "Irão apoia decisão de Putin para enfraquecer os terroristas na Síria"

Entre relatos crescentes de uma ofensiva terrestre conjunta (Síria, Rússia e Irão) na Síria, o Irão intensifica os esforços para se tornar num ator

Em leitura:

Hossein Amir-Abdollahian: "Irão apoia decisão de Putin para enfraquecer os terroristas na Síria"

Tamanho do texto Aa Aa

Entre relatos crescentes de uma ofensiva terrestre conjunta (Síria, Rússia e Irão) na Síria, o Irão intensifica os esforços para se tornar num ator decisivo no conflito.

De acordo com a Alta Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, Federica Mogherini, um processo de transição política na Síria não é possível sem o envolvimento da Rússia e do Irão: “Se queremos que o cenário político avance e que se comece imediatamente um processo político, na Síria, precisamos de envolver os atores com influência direta sobre o regime. Por essa razão, a Rússia e o Irão têm um papel crucial.”

Em entrevista exclusiva à Euronews, o vice-ministro iraniano dos Negócios Estrangeiros, Hossein Amir-Abdollahian, explicou o envolvimento do país no conflito sírio.

Fariba Mavaddat, euronews – O Irão tem algumas tropas no terreno?

Hossein Amir-Abdollahian, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão – Não enviámos forças de combate para a Síria. A pedido do Governo sírio enviámos alguns consultores militares com experiência na luta contra o terrorismo.

Fariba Mavaddat – E armamento?

Hossein Amir-Abdollahian – O que se está a passar na Síria, independentemente do que façamos a esse respeito, destina-se a enfraquecer grupos terroristas.

Fariba Mavaddat – No encontro de segunda-feira, os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia decidiram que não existem condições para um futuro de Bashar al-Assad enquanto presidente sírio. De que forma ou em que posição colocou o presidente Assad nas negociações que manteve com Federica Mogherini?

Hossein Amir-Abdollahian – Discutimos pontos muito importantes com a chefe da diplomacia europeia, incluindo a urgência de lutar contra o terrorismo, mas tenho de dizer que cabe ao povo sírio decidir sobre a permanência, ou não, de Assad no país. Se os grupos rebeldes querem participar do futuro político da Síria primeiro terão de tornar clara a posição em relação a outros grupos terroristas. Depois terão de juntar-se ao processo político no país.

Fariba Mavaddat – De que forma é que descreve a cooperação do Irão com a Rússia, neste momento, e como é que vê o relacionamento com a Rússia no futuro em relação à Síria?

Hossein Amir-Abdollahian – Nem a Rússia quer atingir apenas grupos que lutam contra Assad nem nós apoiamos esta ideia. Apoiamos a decisão de Putin, pensada para enfraquecer os terroristas na Síria.

Fariba Mavaddat – De que forma?

Hossein Amir-Abdollahian – Os nossos consultores militares apoiam o exército sírio, as autoridades, e, no caso de ser solicitado, também apoiarão as autoridades russas.