Última hora

Última hora

Irão: Mudar de sexo ou a morte

No Irão, a homossexualidade pode ser punida com a pena de morte, mas a mudança de sexo é financiada pelo Estado

Em leitura:

Irão: Mudar de sexo ou a morte

Tamanho do texto Aa Aa

No Irão, a homossexualidade pode ser punida com a pena de morte, mas a mudança de sexo é financiada pelo Estado. Esta é uma das razões que levam a República Islâmica a ser o país do mundo onde se realizam mais operações de mudança de sexo, logo a seguir à Tailândia.

O problema, segundo os defensores dos direitos humanos, é que homossexuais e lésbicas acabam por ser pressionados para mudarem de sexo. Às vezes, porque a alternativa é a morte. Outras vezes, porque os médicos apenas dizem que as pessoas estão “doentes” e que a solução é a operação.

Não é o caso de Tarane Aram, que afirma ter querido mudar de sexo desde a adolescência, quando se chamava Amir.
Tarane diz não ter “qualquer remorso” por ter mudado de sexo há uma década, mas confessa que “não teria sobrevivido ao primeiro ano” se não fosse “o apoio” dos amigos.

No Irão, os atos homossexuais são puníveis com a morte. Mas, como explica o Grande Aiatola Yousef Saanei, “no Islão, existe um princípio que diz que tudo é permitido a menos que existam fortes argumentos contra ou uma lei que o proíba”.

Aos homossexuais e lésbicas que não querem submeter-se à operação de mudança de sexo resta a clandestinidade ou a fuga do Irão. A maioria ruma à Turquia, já que os iranianos não precisam de visto. Mas, no final, quase todos pedem asilo num país terceiro depois de enfrentarem a discriminação e, por vezes, a violência.

Os números oficiais dizem que 370 pessoas mudaram de sexo no Irão, em 2010. A estimativa é que esse número seja substancialmente maior.

Pode ler mais sobre este tema (em inglês) nas ligações abaixo:
http://www.bbc.com/news/magazine-29832690

http://www.worldpolicy.org/transition-iran

https://news.vice.com/article/transgender-iranian-refugees-are-struggling-to-outrun-prostitution-and-violence

http://planettransgender.com/meet-refugee-martha-honey-fleeing-irans-transgender-eugenics/