Última hora

Última hora

Migração: Eslovénia "aperta" entrada de refugiados e pressiona Croácia

As fronteiras dos balcãs estão a ficar saturadas com os milhares de migrantes e refugiados que todos os dias continuam a tentar chegar ao norte da

Em leitura:

Migração: Eslovénia "aperta" entrada de refugiados e pressiona Croácia

Tamanho do texto Aa Aa

As fronteiras dos balcãs estão a ficar saturadas com os milhares de migrantes e refugiados que todos os dias continuam a tentar chegar ao norte da Europa. Com a Hungria agora também fechada a arame farpado junto à Croácia, a Eslovénia começou a limitar as entradas e as travessias pelo país rumo à Áustria. Com isso, o governo esloveno está a colocar mais pressão sobre a Croácia.

O Governo de Zagrebe apelou aos vizinhos para aceitarem pelo menos 5000 migrantes por dia, mas os eslovenos alegam que a Áustria, mais a norte, não aceita mais de 1500 e por isso apenas admite deixar entrar 2000 a 2500 pessoas em trânsito rumo ao norte da Europa.

(“ESlovénia vai limitar entrada de migrantes a 2500 por dia.”)

O secretátrio de Estado do Ministério do Interior esloveno explicou que o país não pode aceitar “um número de migrantes maior do que aqueles que vão continuar a sua viagem”. “Num curto espaço de tempo, talvez em cerca de dez dias, iríamos ter 35.000 migrantes na Eslovénia e isso é inaceitável para nós”, afirmou Bostjan Sefic.

Na fronteira entre a Sérvia e a Croácia, milhares de migrantes passaram, entretanto, o domingo à espera de entrarem nos autocarros que os levariam para a Croácia, de onde esperavam seguir viagem para a Eslovénia, a caminho da Alemanha, via Áustria. Mas o trânsito migratório está a ficar congestionado, em particular, na Croácia, onde só no sábado terão entrado cerca de 6000 migrantes. Com a Hungria a fechar também a fronteira croata com arame farpado, as autoridades locais desviaram o fluxo de migrantes para a Eslovénia, mas também estão a encontrar obstáculos.

(“Croácia desvia migrantes para a Eslovénia depois de a hungria fechar a fronteira.”)

A aproximação do inverno começa a revelar-se um problema acrescido na assistência às milhares de pessoas, incluindo muitas crianças, em trânsito rumo ao norte da Europa. As previsões meterorológicas para esta segunda-feira, por exemplo, em Opatovac, um dos pontos de passagem dos migrantes pela Croácia, apontam para chuva, com as temperaturas a ronadarem os 5 graus de mínima e os 10 de máxima.

Maisde 600.000 migrantes e refugiados já entraram este ano na Europa pelo Mediterrâneo e o número é esperado que vá subir até perto do milhão — durante todo o ano pasado, terão entrado na União Europeia cerca de 200.00, o aumento é impressionante. A maioria destes migrantes é oriunda da Síria e respeitam o estatuto de refugiados.

(”[Ultimos números: 5500 registados em centro de acolhimento na Macedónia, 3000 à espera de entrar, 4000 estão na fronteira.”)